Bateram no meu carro e ele desvalorizou. Quem processar?

“Bateram no meu carro e depois de consertar, ele desvalorizou… De quem é o prejuízo: meu, da oficina, da seguradora?” Veja resposta aqui!

Nossa visitante Simone nos enviou a seguinte dúvida:

“Tive um sinistro de uma colisão traseira onde um caminhão bateu no meu carro pois perdeu o freio na praça de pedágio. A [seguradora] consertou meu carro em uma oficina [concessionária] porem agora na venda do veiculo as concessionarias me pedem uma avaliação do veiculo em empresa especializada e o mesmo é reprovado portanto meu carro ficou desvalorizado ele é novo ano 2013 e não conseguirei usar o mesmo na troca por um okm. Posso acionar a seguradora e a concessionaria na justiça? Obrigada”

Confira nossa resposta a esta dúvida:

Simone, boa noite!

O primeiro passo é verificar se a oficina concessionária de sua escolha é credenciada da seguradora que cobriu seu veículo.

Se a oficina for credenciada da seguradora então a garantia do serviço é tanto da oficina quanto da seguradora. Se a oficina não for credenciada, a garantia do serviço é somente da própria oficina. Geralmente oficina concessionárias não são credenciadas, mas é importante checar o seu caso específico para ver se não trata de uma exceção.

Se o carro está sendo reprovado em vistoria de segurança, então é seu direito apresentar este laudo à oficina (e  à seguradora, se a oficina for credenciada) e solicitar que o serviço seja refeito até que o veículo seja entregue em perfeito estado de segurança. Caso não concordem em refazer o serviço mesmo com a apresentação do laudo será necessário buscar instrução de um advogado para entrar com uma ação contra a oficina (e seguradora, se for o caso).

Por outro lado, se o carro está sendo aprovado nas vistorias de segurança e o único ônus é a desvalorização em razão da colisão, infelizmente não é possível cobrar este prejuízo nem da oficina nem da seguradora. Perdas decorrentes de desvalorização financeira ou depreciação não são cobertas pelo seguro de automóvel e também fogem ao escopo de responsabilidade das oficinas. Neste caso, o que recomendamos é que procure mensurar o tamanho dessa perda financeira e procure inicialmente negociar com o causador do acidente. Não havendo acordo, a única forma será tentar ser ressarcida por esse prejuízo na Justiça.

Espero ter ajudado.

Futuramente, peça sua cotação de seguro conosco: Cotação Seguro Carro

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School), atualmente faz extensão universitária em Direito e Economia (UNICAMP). É desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como Gestora na DM4 Corretora de Seguros, associada do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Adicionar aos favoritos o permalink.

4 Responses to Bateram no meu carro e ele desvalorizou. Quem processar?

  1. Adriana Gomes diz:

    Bom dia!
    Um rapaz de 12 anos bateu no meu carro, o mesmo está conduzindo uma moto. Tive alguns danos no meu veículo como amassados e arranhões nas portas do lado esquerdo e no retrovisor esquerdo também. A mãe do responsável se propôs a pagar o meu prejuízo porém foi a mesma que escolheu a oficina para tal reparo. O dono da oficina já mexeu no carro duas vezes e o serviço não fica bom, irei retornar pela terceira, caso não fique como deveria ser o que eu faço?

  2. Jessica diz:

    Jessica,
    Sobre a dica acima, caso a vitima consiga um laudo da concessionaria descrevendo que o veiculo desvalorizou em função da batida, a vitima pode ingressar com uma ação contra a seguradora e o causador, o juiz irá considerar como uma perda material e a seguradora será obrigada a indenizar dentro da cobertura de danos materiais (respeitando os limites contratados). Tenho alguns casos deste tipo com exito na justiça.

    • Jessica diz:

      Jessica, boa tarde!

      Muito interessante! Desconhecia essa informação.
      Como se trata de situação determinada pelo juiz, traves de processos jurídicos, não está previsto nas Condições Gerais e por isso não sabíamos dessa possibilidade.

      Obrigada por compartilhar está informação conosco!! :)

      Abraços!

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: procure ser breve, pois são muitas dúvidas todos os dias! :)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *