Como proceder em uma colisão de veículos

como proceder em colisão de veículosVeja passo a passo de como proceder em uma colisão de veículos para evitar prejuízos e outros acidentes ainda piores!

No post de hoje vamos mostrar um passo a passo de como proceder em uma colisão de veículos.

Caso você tenha alguma dica que não consta abaixo, envie nos comentários, pois poderá ajudar outros visitantes. Se tiver dúvidas sobre seguro em situações como essa, também escreva nos comentários para podermos ajudá-lo!

Peça também sua cotação conosco ;D

Cotação Seguro Carro - 2

Antes de tudo, duas “historinhas”:

Nosso blog tem maior foco nas dúvidas relacionadas a seguros, principalmente o seguro de automóvel, mas eu não podia deixar de escrever esse post depois de duas historias que compartilho com vocês logo abaixo. São histórias curtinhas, mas que mostram a importância de saber como proceder nos casos de colisão com foco em segurança (para evitar acidentes maiores) e evitar prejuízos (quando o causador do acidente foge).

História nº 1

Esses dias recebi uma dúvida aqui no blog que me espantou: Um de nossos visitantes relatou que por acidente seu veículo (carro 2) colidiu com a traseira de um carro a frente (carro 1) na estrada. Os dois pararam os carros, ligaram o pisca alerta e desceram para ver os danos. O motorista do outro carro se colocou entre os dois veículos para ver melhor e, neste momento, um terceiro carro bateu, empurrando o carro 2 contra o carro 1 e, entre eles, a pessoa teve as pernas prensadas.

Não se trata aqui de fazer sensacionalismo… Mas fiquei realmente angustiada ao imaginar essa situação. Fiquei vários dias pensando: o que poderia ter evitado que aquela pessoa fosse atingida? O que fazer e o que não fazer para evitar esse tipo de acidente tão grave e inesperado?

História nº 2

Há algumas semanas uma grande amiga minha postou no Facebook que se considerava uma “grande idiota” (palavras suas, amiga! Eu te amo de coração e não te acho idiota de jeito nenhum ;) ). Ela contava que enquanto dirigia, um motorista distraído bateu na traseira do carro dela. Na hora ela ficou nervosa e nem pensou direito: pediu apenas o nº do telefone e nome completo do sujeito.

Quando chegou em casa e ligou para o dito cujo, descobriu que o número não existia e ela não tinha nenhuma outra informação além do nome dele. Sem placa, sem modelo do carro, sem CPF, sem boletim de ocorrência, nadinha… Não houve como ela cobrar os prejuízos do responsável pela colisão. Ela teve que pagar o conserto por conta própria, já que os custos não ultrapassaram a franquia do seguro dela.

Neste caso, surgem outras questões: O que ela poderia ter feito para garantir que o responsável lhe pagaria os prejuízos? Que informações ela deveria ter solicitado? Que procedimentos deveria ter feito?

Abaixo veremos passo a passo com foco nessas duas coisas: evitar acidente maiores (principalmente que possam causar lesão corporal a alguém) e evitar prejuízos (quando o causador foge ou lhe passa a perna).

Passo a passo no caso de colisão de veículos

Passo nº 1: Respire fundo e observe.

O maior erro das pessoas quando sofrem uma colisão é ficarem desnorteados pela raiva ou pelo susto. A pessoa não pensa direito, sai do carro e faz as coisas de qualquer jeito, na afobação. Isso não vai te ajudar em nada, além de colocá-lo em risco (lembra da história 1?).

Então o primeiro passo é respirar fundo e observar rapidamente a situação:

  • É seguro eu sair do meu carro? Se estiver numa rodovia, tome cuidado, pois podem vir outros carros e o pisca alerta pode não dar tempo de reação. Antes, procure deslocar o carro para o acostamento, ligue o pisca alerta e coloque o triângulo. O mesmo vale para o motorista do outro carro: não deixe ele se colocar em risco. Se você ou ele tiverem crianças no carro, atenção redobrada. Somente depois disso procure conversar com o causador do acidente, num local seguro e sem risco de acidentes com vítimas.
  • O carro que bateu no meu parece ter a intenção de fugir? Se o carro que bateu no seu já está cantando os pneus para tentar fugir, segure o nervosismo! Tenha foco!!! Tente gravar ou fotografar a placa do fugitivo, assim como o modelo e cor do carro. Essas informações poderão ajudá-lo a localizá-lo e posteriormente tentar receber os prejuízos na Justiça.
  • O carro que bateu não fugiu e o motorista está disposto a conversar? Então vamos para o passo nº 2.

Passo nº 2: Placa e modelo do carro + Dados do motorista e contatos

É aqui que ocorrem as principais falhas (lembra da história 2, da minha amiga?). Então atenção às dicas abaixo:

  • Anote ou fotografe a placa e modelo do carro.
  • Solicite ao motorista causador do acidente as seguintes informações: Nome completo, CPF e nº de telefone.  Como não queremos dar margem para mentira, alguns macetes são bem vindos:
  • Confirme esses dados com os documentos do motorista. Peça para ver o documento dele (CPF, RG, CNh, qualquer documento onde você possa confirmar o nome e registro dele).
  • Peça para ele dar um toque no seu celular ou ligue no nº que lhe passaram. Se você desconfia que estão lhe passando um nº de telefone errado, há duas opções: Peça para o motorista ligar do celular dele para o seu e grave o nº da ligação. Ou então ligue na hora para o nº que ele lhe passar e confirme se o celular dele toca.

Parece neurose e falta de educação fazer tudo isso… Mas fica a seu critério fazer isso ou arriscar confiar num total desconhecido num mundo de tubarões :(

Passo nº 3: Quem tem e quem não tem seguro de automóvel?

Depois de pegar todos esses dados e confirmar essas informações, o próximo passo é começar a pensar em como resolver o problema.

  • O motorista que bateu no seu carro tem seguro?
  • Não tem seguro: Se ele não tem seguro, deverá pagar seus prejuízos particularmente.
  • Tem seguro: Se ele tem seguro, poderá usar a cobertura de danos materiais a terceiros para cobrir os prejuízos do seu carro. Essa cobertura não tem franquia, por isso você, como vítima, não terá nenhum custo com isso. Peça a ele os contatos do corretor de seguros dele e contate esse profissional para lhe ajudar na abertura do sinistro como terceiro.

Passo nº 4: Boletim de Ocorrência (B.O.)

O Boletim de Ocorrência é obrigatório nos acidentes com vítimas. Porém, é de extrema importância fazer o B.O. mesmo quando não há vítimas, pois ele servirá como prova de como ocorreu o acidente e lhe dará amparo jurídico caso haja algum indisposição do motorista que bateu no seu carro em lhe ressarcir os prejuízos causados.

Além disso, a grande maioria das seguradoras pede o Boletim de Ocorrência para abertura do sinistro, mesmo quando não há vítimas.

Então aí vão algumas dicas sobre o B.O.:

  • B.O. é obrigatório nos acidentes com vítima.
  • Faça B.O. mesmo quando não houver vítima, pois serve como documento jurídico
  • Faça o B.O. preferencialmente junto ao outro motorista, colocando os dados pessoais e dos veículos de todos os envolvidos. Se tiver testemunhas, melhor ainda. Fazendo um B.O. que esteja de acordo com todos os envolvidos e assinatura de todos, você evita que um mesmo acidente tenha mais de uma versão.
  • Guarde o B.O. autenticado caso precise dele no futuro.

No geral, é isso aí pessoal! Espero ter ajudado. Se estiver faltando algo, não deixem de pontuar – a participação de vocês é muito importante. Se tiver ajudado, curta e compartilhe com seus amigos ;)

Cotação Seguro Carro

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School), atualmente faz extensão universitária em Direito e Economia (UNICAMP). É desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como Gestora na DM4 Corretora de Seguros, associada do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Adicionar aos favoritos o permalink.

114 Responses to Como proceder em uma colisão de veículos

  1. kelly carvalho diz:

    olá,
    Na colisão entre 3 veículos, que é o verdadeiro responsável para ressarcir o meu prejuízo?
    Estava eu parada no semáforo, sendo o primeiro carro quando um carro atingiu o segundo (que estava atrás de mim) e este veio bater na traseira do meu carro. Neste caso quem é o verdadeiro culpado, ou melhor, a que eu devo pedir o ressarcimento para o meu prejuízo, quem bateu em mim ou quem o terceiro que causou as colisões??

    • Jessica diz:

      Kelly, boa tarde!

      Pela descrição do acidente, entendemos que o último carro da fila empurrou os dois da frente uns contra os outros. Se ocorreu desta maneira, entendemos tratar-se de um único evento no qual o último da fila foi responsável pela colisão e pelos prejuízos dos veículos a frente.
      Se houver dúvidas sobre como ocorreu a colisão ou não houver acordo entre os envolvidos sobre a responsabilidade nos prejuízos, é recomendável consultar um advogado.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/yx53w16XnbY

      Atenciosamente,

  2. Jennyfer Stefany Vulpini diz:

    Meu esposo estava parando para o farol vermelho, quando um motoqueiro jogou a moto contra o carro na contra mão. Como procedemos. Não houve vítimas.

    • Jessica diz:

      Jennyfer, boa tarde!

      Se seu marido estava parado e a moto bateu nele sozinho, ele não é culpado.
      Se houve danos ao veículo de vocês, o proprietário da moto será responsável pelo ressarcimento desses prejuízos.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/1idN0PYi0Kk

      Atenciosamente,

  3. Daniel Silva diz:

    Bati na traseira de um carro pois o sinal estava com defeito e ele foi passar quando estava piscando o vermelho e do nada ele freou em cima da faixa aí fui tentar tirar mas não deu.
    Hoje faz 3 dias que procuro ele para resolver mas ele nunca me deu o retorno fala sempre que vai me encontrar e na hora desmarca, tem um porém ele pegou o meu celular e não quer me devolver de jeito nenhum o que eu faço?

    • Jessica diz:

      Daniel, boa tarde!

      Recomendamos insistir num acordo extrajudicial. Se não for possível, é recomendável buscar as Pequenas Causas ou um advogado.
      Com relação ao celular, se o mesmo foi levado a força e não foi devolvido, é necessário fazer um Boletim de Ocorrência.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/yx53w16XnbY

      Atenciosamente,

  4. RICARDO MEDEIROS DA SILVA diz:

    Minha moto estava parada em frente uma loja, ela tombou sozinha e acabou arranhado a porta de um carro que estava ao lado . Queria saber como devo proceder nessa situação já que não tenho seguro e não foi feito o B.O , e no caso do pagamento não tenho a quantia cobrada feita em um só orçamento que o cara do carro fez , eu posso fazer o orçamento com outros especialista na área , eu tenho esse direito ?

    • Jessica diz:

      Ricardo, boa tarde!

      Desculpe a demora em responder, recebemos muitas questões este mês!

      O terceiro tem livre escolha quanto a onde fazer o reparo do veículo. O senhor pode fazer orçamentos para negociar o ressarcimento do prejuízo, mas isso não exclui a possibilidade de ele escolher onde fazer o serviço.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/yx53w16XnbY

      Atenciosamente,

  5. Bianca diz:

    Boa tarde bateram na traseira da minha amiga pois ela freio para não atropelar os pedestres que acabaram passando sem o sinal ter fechado quem deve pagar os prejuízos?

    • Jessica diz:

      Bianca, bom dia!

      Em princípio considera-se culpa presumida de quem colide na traseira por não ter mantido a distância de segurança.
      Existe jurisprudência que determina culpa de quem freou, mas são casos excepcionais.
      Será necessário buscar um acordo entre as partes. Se não houver consenso, recomendamos consultar um advogado.

      Quando for fazer seu seguro, peça uma cotação com a gente: http://www.muquiranaseguros.com.br
      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/jZOs_YAyk7I

      Atenciosamente,

  6. roseli s.v.januario diz:

    meu marido colidiu com motoqueiro, e o processo ja dura 8 anos, tinhamos seguro na epoca , mas a vitima não quer receber do seguro e entrou com ação de cobrança judicial , e esta bloqueando os bens do meu marido , como devemos proceder nesse caso. uma vez que ele não quer receber do seguro

  7. Vinicius diz:

    Bati na traseira de um carro por motivo dele ter passado da faixa de da sinalização de pare parando logo a frente no cruzamento da avenida

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: procure ser breve, pois são muitas dúvidas todos os dias! :)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *