Deu perda total no seguro: posso ficar com o carro?

Carro deu perda total no seguro, mas desejo ficar com ele. Como proceder?

Recebemos a seguinte dúvida do nosso visitante Wagner:

“Gostaria de saber se o carro dando perda total posso fazer um acordo pra ficar com ele? E qual seria o valor aproximado do acordo com a seguradora, num veiculo de 12 mil reais?”

Confira nossa resposta:

Olá Wagner, tudo bom?

Primeiramente agradecemos sua participação aqui no Blog! Vamos às respostas :)

O primeiro esclarecimento sobre este assunto é que não é possível receber indenização integral pela perda total e ao mesmo tempo continuar com o veículo. Sempre que ocorre indenização integral do veículo por meio do seguro, o carro é transferido para o nome da seguradora, pois é como se ela estivesse adquirindo o veículo sinistrado pelo valor de um não sinistrado. Por isso, é necessário escolher entre 1) a perda total com indenização integral ou 2) o conserto do carro, por meio de negociação com a seguradora, para ficar com ele.

A) Se você está acionando seu próprio seguro:

Nas Condições Gerais do seguro constam as cláusulas contratuais de quais são os direitos e deveres do contratante (segurado, ou seja, você) e contratada (seguradora). Lá está previsto que no caso de perda total a seguradora se compromete a pagar indenização integral conforme percentual contratado da Tabela FIPE. Neste caso, quando a seguradora paga a indenização, o veículo é transferido para o nome da seguradora.

Por conta disso, se ocorrer perda total e o segurado deseja ficar com o carro, é necessário negociar com a seguradora solicitando para que seja feito o conserto ao invés do pagamento da indenização integral. Esta solicitação estará sujeita à análise da seguradora, a qual poderá recusar (se atendo ao que está previsto no contrato) ou acatar (flexibilizando o contrato por meio de negociação).

Não há como garantirmos se sua seguradora acatará ou não a solicitação, pois depende dos termos da negociação e também do quão flexível é a seguradora. Para aumentar as chances de aceitação, recomendamos solicitar ajuda do corretor da apólice para intermediar esta negociação e lhe ajudar.

B) Se você foi vítima e está entrando como terceiro no seguro do causador:

Não existe cláusula contratual que estipule o procedimento no caso de perda total do veículo do terceiro, por isso há diversos pontos que ficam em aberto. Isso faz com que em alguns casos haja maior flexibilidade para terceiros ao tentar negociar o conserto do carro ao invés da indenização integral pela PT.

Ainda assim a solicitação fica sujeita à análise da seguradora, que pode acatar ou recusar o pedido. Por conta disso é importante que o terceiro busque um acordo interessante para ambas as partes.

Quanto a seguradora pagará pelo conserto?

Tanto na situação (A) quanto na (B), se houver aceitação por parte da seguradora, será necessário negociar o valor coberto pelo seguro para realização do conserto.

No caso de perda total a seguradora pagaria indenização integral e ficaria com o salvado do veículo. Por conta disso, para consertar um carro que daria perda total, no geralela cobrirá custos inferiores ao que pagaria na indenização integral, deixando a encargo do segurado ou terceiro a diferença.

Como as seguradoras costumam trabalhar com o critério de perda total de custos de reparação iguais ou superiores a 75% do valor do carro, ela poderá propor arcar com no máximo 75% dos custos do orçamento do conserto. Mas como dissemos, varia caso a caso e por isso esta não é uma “regra geral”.

No exemplo do Wagner, se o carro vale $12.000, deu PT mas ele quer consertá-lo, a seguradora provavelmente proporá arcar com valor inferior à $12.000 para realização do conserto. Se ela trabalhar com este critério dos 75%, Wagner poderá propor de a seguradora arcar com 75% x 12.000 = $9.000. A diferença ficaria a encardo do Wagner. Mas reforçamos que isto não é uma fórmula e depende da negociação em cada caso. Caberá ao Wagner buscar um senso comum com a seguradora sobre este valor, que atenda tanto ele quanto a seguradora.

Como vocês viram, este é um assunto que depende de diversas variáveis: aceitação da seguradora, negociação de valores etc. Por conta disso não existe uma “fórmula” pronta de como funciona, podendo variar muito caso a caso. Se você está nesta situação e já tentou diversas negociação com a seguradora, sem sucesso, a recomendação é buscar instrução jurídica de um advogado ou as Pequenas Causas.

Esperamos que essas informações ajudem! ;)

Cotação Seguro Carro

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School), atualmente faz extensão universitária em Direito e Economia (UNICAMP). É desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como Gestora na DM4 Corretora de Seguros, associada do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Adicionar aos favoritos o permalink.

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: procure ser breve, pois são muitas dúvidas todos os dias! :)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *