Franquia do seguro de automóvel: o que é e quando não tenho que pagar?

Saiba o que é a franquia dos seguros e em que tipos de sinistro você não precisa pagá-la

 No dia a dia da corretora percebemos que uma das maiores dúvidas dos clientes sobre o seguro está na questão da franquia. Qual parte do custo é da seguradora e qual parte é do segurado? Como é definido esse valor? Para não levar sustos na hora de acionar o seguro, é fundamental saber o que é a franquia, como ela funciona e os casos em que não é necessário seu pagamento.

Leia também: “Franquia de seguro de carro pode ser parcelada?”

Ao contratar o seguro, principalmente o seguro de automóvel, muitas pessoas não dão a devida atenção à franquia. Pensando somente no preço do seguro, contratam franquias muito altas e, quando o azar bate a porta com uma colisão, sofrem para arcar com sua parte dos custos. Por essas e outras, muquirana que preze por seu bolso (rs!) não olha só o preço do seguro, mas também a franquia.


O que é franquia do seguro de automóvel?

A franquia é a participação obrigatória do segurado nos custos de perda parcial do veículo. Ou seja, se o veículo sofrer danos mas não chegar a dar perda total (quando a recuperação atinge 75% ou mais do valor segurado), então o segurado pagará a franquia, e a seguradora o restante.

Como funciona a franquia no seguro de carro?

Perda total: não paga franquia. 

Por exemplo: Suponha que no seguro de seu automóvel o valor segurado é de 100% da Tabela Fipe (para saber como funciona a tabela fipe, veja aqui). Num cruzamento sem querer você bateu o veículo. Se na época seu carro valia R$30.000,00 pela Tabela FIPE, então os custos de reparo teriam que chegar à 75% de 30.000 (ou seja, R$22.500,00) para caracterizar perda total. Nesse exemplo, se a recuperação ficar igual ou acima de R$22.500,00 o segurado não pagará franquia, pois houve perda total.

Perda parcial: paga franquia

Suponha que o conserto de seu carro ficou abaixo de 75% do valor segurado, por exemplo R$6.000,00. Veja que 6.000 equivale apenas 20% de 30.000. Por isso, neste caso a perda é parcial, e não total. Neste caso, o segurado pagará franquia. Se a franquia do seu seguro for de R$1.500,00 então você pagará R$1.500 e o seguro pagará a diferença: 6.000 – 1.5000 = R$4.500,00.

Não há pagamento de franquia quando…

Além da situação de perda total do veículo, não há pagamento de franquia nas seguintes situações:

  • Incêndio, Raio e Explosão acidental (saiba mais aqui)
  • Quando você entra como terceiro na cobertura de danos materiais e morais a terceiros do seguro do responsável pelo acidente (saiba mais aqui)
  • Quando o veículo é roubado e não é encontrado. No caso de ser encontrado, haverá pagamento de franquia para reparar danos que o automóvel possa ter sofrido nas mãos dos ladrões.
Faça-já-cotação-do-seu-seguro-de-automóvel

Importante ressaltar que apesar de nesses casos não haver pagamento de franquia, o acionamento do seguro levará à perda de bônus como em qualquer outra situação de sinistro.

Mal negócio…
O que não fazer com sua franquia

Quando você usa seu seguro para perda parcial, você tem que pagar a franquia. Nos casos em que você é vítima, posteriormente você tem direito de exigir do causador do acidente o ressarcimento da franquia paga por você. Isso é 100% legal, pois você está exigindo um direito seu enquanto vítima.

Porém, nos casos em que o responsável pelo acidente não tem seguro, pode acontecer de ele fazer uma proposta indevida:

Se você é considerado vítima no acidente (ou seja, você não é culpado), pode ocorrer de você ser chantageado pelo responsável pelo acidente que, não tendo seguro, afirma que só lhe indenizará sua franquia se você assumir a culpa no seguro e usar sua cobertura de terceiros para o carro dele. Ele estaria aproveitando sua necessidade de ter sua franquia ressarcida forçando você a assumir a culpa pelo que não é sua culpa. Assim, ele que não tem seguro se aproveitaria do seu seguro para consertar o carro dele.

O pagamento de sua franquia é usado como barganha pelo causador do acidente para usar sua cobertura de terceiros indevidamente. Não aceite esse tipo de proposta, pois poderá implicar em cancelamento do seu seguro e no não-pagamento de sua indenização. Apesar de parecer uma solução “prática”, é condenada nos artigos 765 e 768 do Código Civil brasileiro.

A cobertura de terceiros do seu seguro só pode ser  usada nos casos em que você é considerado culpado pelo acidente, e não como “moeda de troca” pelo ressarcimento de sua franquia. Não se deixe enganar: se você é vítima, o ressarcimento da franquia é um direito seu, e não uma barganha do causador do acidente.

Algumas dicas e casos especiais

Para brações e azarados, melhor se garantir…
Franquia reduzida

Todas as seguradoras oferecem as opções de franquia normal e franquia reduzida. A franquia reduzida, como o próprio nome já diz, é menor. A contrapartida disso é que o preço do seguro fica mais caro. O quão mais caro, dependerá de cada caso.

Confira aqui lista de dicas para avaliar qual o melhor escolha de franquia para seu caso.

Para pessoas com deficiência:
Descontos de franquia

Em seguradoras como a Porto Seguro, existem ainda casos especiais para pessoas com deficiência: essas pessoas podem ter até 25% de desconto na franquia. Os casos variam, mas no geral pessoas com deficiência tem condições especiais no seguro, por isso é importante consultar o corretor antes de fechar o seguro.

Faça já cotação do seu seguro de automóvel: clique abaixo ou nos contate!

fazer-pedido-de-cotação-de-seguro

atendimento@muquiranaseguros.com.br

(19) 3304 9920

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas pela UNICAMP, é sócia da Muquirana Seguros Online Ltda. e trabalha na área de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) com foco em Search Engine Optimization (SEO), inovação na internet e gestão empresarial.
Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.

269 Responses to Franquia do seguro de automóvel: o que é e quando não tenho que pagar?

  1. Lucia diz:

    bom dia,

    gostaria de saber se é possível fazer seguro do carro sem ter pago o licenciamento/DPVAT 2013. ou o seguro obriga a estar com as contas em dia em relação ao veiculo ? muito obrigada

    • Jessica diz:

      Lucia, bom dia!

      A contratação do seguro não depende do pagamento do licenciamento e DPVAT.
      Porém, em caso de sinistro será necessário regularizar todos os impostos para que a seguradora possa fazer o pagamento da indenização.

      Continuamos a disposição!
      Faça sua cotação de seguro de automóvel conosco quando for renovar :)

  2. gregorio diz:

    boa noite, eu estava em uma rua que tinha a placa pare, o fato aconteceu em um cruzamento, no momento que fui cruzar um carro bateu no meu. Pela lei sei que eu sou culpado, mas pode haver algo que faça com que isso seja contestado ? continuando, o carro dele deu PT, ele tem seguro e eu não tenho…. sei que o seguro dele pode cobrir o carro dele , pois o orçamento deu 19.000 e o valor da fipe do carro dele é 23.000, nesse caso, qual o valor que a seguradora vai cobrar de mim ? e o que pode ser feito em meu caso ? obrigado pela ajuda !

    • Jessica diz:

      Gregorio, bom dia!

      Não sabemos informar quais as possibilidades jurídicas de contestação pois atuamos somente em consultoria de seguros. Para essa questão recomendamos que consulte um advogado para que ele possa analisar as circunstâncias do acidente e lhe dizer se há jurisprudência de casos semelhantes ao seu.

      A respeito da perda total do veículo, o seguro pagará indenização integral ao segurado. Essa valor geralmente toma por referência a Tabela FIPE do mês da indenização e será este valor a ser cobrado pela seguradora posteriormente, caso ela venha a procurá-lo. Você pode consultar a Tabela FIPE clicando aqui.

      Ficamos a disposição!
      Se quiser fazer uma cotação de seguro com cobertura para terceiros, sem compromisso, nos colocamos a disposição!

  3. Carla diz:

    Boa tarde ., tenho uma duvida simples, um carro bateu no meu veiculo, mas ele tinha a preferencial, só que ele veio com muita velocidade, e o carro dele danificou totalmente, sendo que o meu nao muito, e a unica testemunha que tenho que estava comigo seria meu namorado, o cara que bateu no meu carro disse que tem seguro , mas eu nao tenho, se caso eu entrar na justiça sei que praticamente vou perder e arcar com o prejuizo dele com a seguradora dele, pois a preferencial era dele. Mas existe alguma forma de poder ganhar essa causa ? o que seria necessario ? ou realmente o caso esta perdido para mim ? muito obrigado e agradeço a ajuda nesta aflição q me atormenta noite e dia !

    • Jessica diz:

      Carla, bom dia!

      Como nossa atuação é na consultoria de seguros, para melhor instruí-la recomendamos que consulte um advogado, pois ele saberá lhe informar melhor quais as chances de ganho de causa.

      Como mera opinião, entendemos que se a preferencial era dele, as chances de ele ganhar a causa são maiores. Mas reiteramos que o ideal nesse caso é buscar a instrução de um advogado que possa analisar as circunstâncias do acidente e checar se há jurisprudência de casos semelhantes ao seu.

      Ficamos a disposição!
      Aproveite e faça uma cotação de seguro de automóvel com a Muquirana Seguros Online ;)

  4. mario diz:

    boa tarde, me envolvi em um acidente em que o outro carro tinha a preferencial mas ele que bateu no meu carro,ele tem seguro mas eu nao tenho, como devo proceder nesse caso ? ja que o carro é da minha irmã, ela responde por isso tambem ? e se caso eu for culpado, assumir a culpa e entrar ou tentar entrar em acordo com com o cara que bateu no meu carro(sendo que ele tem seguro) minha irma pode vender o carro ? e se caso nao houver acordo e minha irma querer vender o carro dela assim mesmo?
    obrigado, muito obrigado mesmo !

    • Jessica diz:

      Mario, boa tarde!

      Se você for considerado culpado pelo acidente e o veículo está em nome de sua irmã, se houver um processo jurídico será o proprietário do veículo, no caso sua irmã.
      Se você entrar em um acordo e pagar os prejuízos, você terá cumprido a sua parte e nem você nem sua irmã terão débitos junto a esse terceiro. Nesse caso orientamos que guarde todos os comprovantes e recibos de pagamento e se proteja da melhor forma para não ter nenhum problema no futuro junto a esse terceiro.

      Referente à venda do veículo, independente de você fazer ou não um acordo, a sua irmã pode vender o veículo, pois uma coisa não está vinculada. Porém, vale ressaltar que mesmo se ela vender o veículo e tiver um processo jurídico por conta desse acidente, ela continuará com a responsabilidade pois na data do ocorrido o veículo ainda estava no nome dela.

      Estamos a disposição!

  5. josé diz:

    boa noite, estava eu em uma rua de duas mãos, sendo q a minha via existia placa de pare, era um cruzamento, parei e fui atravessar com calma, mas ao chegar no final da travessa, do lado direito que seria uma outra rua que era uma subida , veio um carro descendo (tbm era rua de duas mãos) em alta velocidade e bateu na lateral do meu carro, sorte que minha namorada não sofreu nada e nem o motorista do outro veiculo, só que o carro deele ficou totalmente danificado, ele disse que tinha seguro, sendo que eu nao tenho! como devo procedeer ? muito obrigado !

    • Jessica diz:

      José, boa tarde!

      Se no cruzamento desta outra rua a preferencial era sua, o seguro dele deverá pagar os danos a seu carro como terceiro. Nesse caso entre em contato com ele e a seguradora dele para abrirem seu sinistro de terceiro.

      Se a preferencial era dele, você será responsável pelo acidente e ele poderá lhe solicitar o ressarcimento da franquia.

      Continuamos a disposição!
      Aproveite e faça a cotação de um seguro de carro para você com a Muquirana Seguros Online :)

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: informe a data do vencimento do seu seguro e nos dê a chance de cotá-lo para você! Todas dúvidas são respondidas.

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>