Quanto acessórios influenciam preço do seguro de câmera

Veja estimativa de quanto a cobertura de acessórios como lentes e flashs influencia no preço do seguro de câmera fotográfica!

Os acessórios de câmeras fotográficas são tão importantes quanto a câmera em si, por isso ao fazer o seguro é altamente recomendável incluir esses itens na apólice também. Sabendo disso, é interessante saber o quanto a extensão das coberturas do seguro para os acessórios impactam, em média, no preço do seguro como um todo.

No post de hoje abordaremos esse assunto com alguns exemplos de cotação. Vale lembrar que a precificação das seguradoras está sujeita a alterações conforme o tempo passa, por isso, se você está lendo este post num futuro distante, basta aplicar o raciocínio que falamos aqui na cotação que você fará clicando no botão abaixo ;)

Cotar seguro smartphone e seguro câmera

Acessórios são enquadrados como itens independentes

OBS! Estamos falando do seguro de câmera fotográfica da Porto Seguro. Outras companhias podem ter regras diferentes, sendo necessário observar as condições gerais de cada uma.

Antes: Cobertura de acessórios como extensão da cobertura da câmera

Até ano passado a cobertura de acessórios estava vinculada à cobertura da câmera, sendo necessário contratar um “extensão de cobertura” para os acessórios: Você fazia o seguro do corpo da câmera e depois dizia o quanto desejava contratar para acessórios em geral. As coberturas contratadas para a câmera passavam a valer também para acessórios. Não se mencionava qual era o tipo de acessório, sendo uma extensão “genérica”.

Esse modelo anterior de contratação trazia diversas limitações. A principal era saber quais tipos de acessórios tinham aceitação, já que a contratação da cobertura era feita de forma genérica mas, depois, ao ler as cláusulas contratuais do seguro, havia diversos detalhes e exclusões de cobertura para alguns itens como carregadores, tripés etc. A segunda maior dificuldade, a meu ver, estava na impossibilidade de escolher quais coberturas queria de fato estender para os acessórios, influenciando na precificação: como todas as coberturas da câmera eram estendidas aos acessórios, não podendo escolher quais de fato queria estender, o preço ficava inflado quando não havia interesse em determinada cobertura.

Agora: Cobertura de acessórios independente da cobertura da câmera

Certamente essas limitações foram observadas pela Porto Seguro ao longo do tempo e, buscando alinhar melhor a oferta à demanda, vieram diversas mudanças no seguro de câmera com relação a acessórios.

Atualmente os acessórios são inclusos como itens “independentes”. Ou seja, o segurado pode incluir item por item, não mais contratando uma cobertura “genérica” para acessórios “em geral”. Ao cotar e contratar o seguro especifica-se qual o tipo e valor daquele equipamento separadamente.

 

Não só isso mudou, como também a possibilidade de escolha de coberturas diferentes para cada item. Agora passa a ser possível escolher uma lista de coberturas para a câmera, e outra lista de coberturas diferentes para o acessório.

Tudo isso tem um efeito direto na precificação do seguro, que passe a ser mais adequada na medida em que considera o risco e as coberturas desejadas para cada tipo de item.

Taxação é praticamente igual entre acessórios

Às vezes meu lado economista toma conta do meu lado corretor de seguros e fico brincando de fazer análises. Ao menos é uma compulsão útil para os leitores rs!!

Fiz algumas simulações considerando 04 tipos de equipamentos: câmera fotográfica, lente, flash e filtro. Para não haver distorções, considerei que todos equipamentos eram da mesma marca (no caso, usei a CANON) e cada um desses equipamentos foi adquirido pelo mesmo preço (R$1.000,00). Com isso verificamos 1) o preço de cada cobertura para cada item e 2) a participação do preço da cobertura específica na formação do preço final. Veja o resultado na Tabela 1 abaixo:

 

A conclusão a que chegamos nesta simples análise é que:

  • Câmeras fotográficas e lentes tem seguro pouco mais caro do que outros equipamentos como flashs e filtros (em torno de  3,52% na simulação). Essa diferença é decorrente da cobertura básica que tende a ser maior nas câmeras fotográficas e lentes do que nos demais acessórios (em torno de 15,58% na simulação).
  • A não ser a cobertura básica, todas as demais coberturas como subtração de bens, danos elétricos garantia internacional e danos por água tem a mesma precificação em qualquer tipo de equipamento fotográfico.

Como não existe variação no preço de cobertura (a não ser na cobertura básica) de acordo com o tipo de equipamento, a grande vantagem na nova formatação de contratação do seguro de equipamentos fotográficos está em poder escolher quais coberturas se deseja contratar.

Por exemplo: Se o segurado faz viagens internacionais e leva somente a câmera, mas não os demais acessórios, pode contratar a garantia internacional somente para a câmera e não para os demais equipamentos. Essa capacidade de escolha permite desenhar o seguro de acordo com a real necessidade do segurado.

Apesar dessa flexibilidade, seria muito interessante se a seguradora medisse o risco por tipo de equipamento, já que é esperado que o risco de sinistro da câmera seja superior ao dos demais itens. Creio que isso ainda não ocorra por ser um seguro relativamente novo e com poucos dados históricos – com o tempo e maior número de dados, a seguradora será capaz de identificar essas diferenças de risco conforme cada tipo de acessório. Resta aguardar para ver se usarão esse conhecimento adquirido na precificação.

Coberturas: das mais caras à mais baratas

A tabela acima também nos permite tirar algumas conclusões sobre quais coberturas são mais caras e mais baratas no seguro de câmera e acessórios. Em ordem descrente, as coberturas mais caras são:

  1. Subtração de bens (roubo qualificado e furto com indícios)
  2. Danos por água e líquidos
  3. Cobertura básica de danos físicos (decorrentes das coberturas contratadas)
  4. Garantia internacional
  5. Danos elétricos

Uma maneira de economizar seria contratar as coberturas mais em conta, mas isso na verdade é uma cilada! É importante levar em conta que a seguradora precifica as coberturas conforme o risco de ocorrência de sinistro. Por isso, quanto mais cara a cobertura, maior o risco de ocorrência. Nesse sentido o critério de escolha das coberturas seria o contrário: é importante contratar as coberturas mais caras, já que tendem a ser as com maior probabilidade de ocorrer.

 

Cotar seguro smartphone e seguro câmera

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School), atualmente faz extensão universitária em Direito e Economia (UNICAMP). É desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como Gestora na DM4 Corretora de Seguros, associada do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Adicionar aos favoritos o permalink.

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: procure ser breve, pois são muitas dúvidas todos os dias! :)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *