Seguro automóvel em nome de outra pessoa: pode ou não pode?

Descubra se o seguro de automóvel pode estar em nome de outra pessoa!

Muitas pessoas ficam na dúvida se o seguro de automóvel pode ser feito no nome de outra pessoa, diferente daquela que que é proprietária do veículo ou daquela que costuma dirigir o carro. Neste artigo nós respondemos essa questão e mostramos exemplos de algumas situações para você entender melhor.

É um assunto muito importante para você garantir a cobertura do seu seguro, sem imprevistos!

Confira e escreva suas dúvidas nos comentários! Aproveite para pedir sua cotação com nossa equipe especializada em muquiranas ;)

Cotação Seguro Carro - 2

“Segurado”, “Proprietário” e “Condutor Principal”
podem ser diferentes no seguro

No seguro existe a figura do “segurado”, do “proprietário do veículo” e do “condutor principal”. Pode ocorrer dessas três figuras não serem a mesma pessoa, e nesses casos a aceitação do seguro dependerá da regra de cada seguradora. Abaixo vamos ver o que é cada coisa.

  • O segurado é a pessoa em nome de quem está o contrato do seguro, ou seja, é a pessoa que está contratando os serviços da seguradora para proteção de seu próprio carro ou do carro de um terceiro (filho, cônjuge etc.).
  • O proprietário do veículo é o dono do veículo, ou seja, em nome de quem está a posse/documento (CRV) do carro.
  • Já o principal condutor é a pessoa que dirige o carro na maior parte do tempo, e por isso o seu perfil (por exemplo faixa etária, sexo etc.) ajudará a determinar o risco e precificar o seguro.

A aceitação ou não do seguro nas situações em que há diferença entre segurado, proprietário ou principal condutor depende de cada seguradora, pois elas tem regras diferentes. Veja alguns exemplos de diferentes regras de aceitação nas seguradoras:

  1. Algumas seguradoras aceitam que essas três “figuras” não sejam a mesma pessoa, podendo ou não ter determinado grau de parentesco.
  2. Outras seguradoras aceitam somente se o segurado for o mesmo que o proprietário.

A regra nº 1 é a mais comum e, a meu ver, mais coerente. A segunda regra é mais incomum e aos poucos vem sendo abandonada pelo mercado.

Não costuma haver restrição com relação ao principal condutor ser diferente do segurado e/ou proprietário.

Dica nº 1:
Peça instrução a um corretor de seguros especializado

Se você se enquadra em algum desses casos específicos é importante procurar a consultoria de uma corretora de seguros especializada como da Muquirana Seguros Online para saber quais seguradoras melhor atendem sua necessidade de enquadramento no seguro. Saberemos lhe informar qual seguradora tem aceitação para seu caso e encontrar ótimas opções de preço dentro dessas possibilidades.

Dica nº 2:
Sempre contrate o seguro especificando corretamente segurado, proprietário e principal condutor

É importantíssimo sempre especificar corretamente no seguro quem é o real proprietário e o real principal condutor do veículo. A veracidade dessas informações garantem sua indenização num caso de sinistro.

Algumas pessoas tentam baratear o preço do seguro colocando um “principal condutor” de menor risco, quando na verdade a pessoa que dirigi a maior parte do tempo é outra, de maior risco. Nesse caso, haverá comprometimento da cobertura do seguro.

Como funciona a cobertura do sinistro caso outra pessoa esteja dirigindo?

Aproveitando o assunto, vale a dica de leitura deste outro artigo no qual respondemos se o seguro cobre sinistro se outra pessoa estiver dirigindo e como funciona a cobertura nesse caso. Ali você confere vídeo e informações fundamentais para esse tipo de situação.

Cotação Seguro Carro

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School). Atualmente faz especialização universitária em Law & Economics (UNICAMP), sendo também associada à Associação Brasileira de Direito e Economia (ABDE). É fundadora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como diretora comercial na DM4 Corretora de Seguros e pesquisadora independente na temática de insurance market.
Adicionar aos favoritos o permalink.

124 Responses to Seguro automóvel em nome de outra pessoa: pode ou não pode?

  1. Raphael Rocha diz:

    Boa tarde, Jessica.
    Há mais de um anos eu emprestei um carro de minha propriedade a meu irmão, nesse período ele fez o seguro da Bradesco em nome dele. Agora ele me devolveu o carro com o seguro vigente até dezembro. Daí estou com a seguinte dúvida: o carro está em meu nome e o seguro em nome do meu irmão, estou acobertado contra acidente e roubo?

    • Jessica diz:

      Raphael, boa noite!

      A Bradesco exige que seja especificado na apólice quem é o proprietário e o vínculo entre principal condutor e proprietário do veículo.
      Recomendamos contatar o corretor responsável pela apólice para atualizar essas informações e também alterar o principal condutor.
      Se não houver aceitação para o vínculo de “irmãos”, será necessário cancelar este seguro e fazer um novo em seu nome e com seus dados.

      Se for necessário fazer um novo seguro por falta de aceitação no atual, peça uma cotação conosco e lhe ajudaremos a encontrar as melhores opções: http://www.muquiranaseguros.com.br

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/ZGa6xU12cJs

      Atenciosamente,

  2. Simone diz:

    Estou realizando a compra de um veículo cujo o dono faleceu e não tem filhos só lhe restou a companheira de muitos anos e como o carro está financiado no nome dele e ela não pode efetuar o pagamento das parcelas ela me propôs em fazer um contrato de compra e venda alegando q eu irei pagar o carro, como consigo fazer o seguro do mesmo? Há alguma chance de não consiguir fazer um seguro para o carro?

    • Jessica diz:

      Simone, boa tarde!

      Algumas seguradoras questionam o vínculo entre segurado e proprietário. Se a seguradora de seu interesse questionar isso, é necessário explicar a situação para confirmar se há aceitação. Havendo aceitação, o seguro poderá ser contratado normalmente.

      O problema não é tanto na contratação, mas num eventual sinistro de indenização integral. No caso de perda total ou roubo/furto sem recuperação, a indenização é paga necessariamente ao proprietário que consta no documento. O pagamento a terceiro requer análise da seguradora e, nos casos com aceitação, pode estar sujeito ao envio de carta autenticada do antigo proprietário autorizando a transação para terceiro, procuração etc. Porém, como o proprietário faleceu, isso pode dificultar o procedimento e, se o veículo tiver isso a inventário, a indenização só será liberada junto com o inventário.

      O ideal seria adquirir um veículo que seja possível fazer a transferência para seu nome, pois não haveria esse risco.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/1idN0PYi0Kk

      Atenciosamente,

Estamos com sobrecarga de dúvidas, sem conseguir responder todos. Pedimos desculpas, estamos resolvendo isso no próximo mês! Até lá, use o campo Pesquisar ao lado direito para encontrar o assunto que precisar ;)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *