Seguro popular Azul: como funciona? Com opiniões!

seguro-popular-azul-como-funciona-com-opinioesSaiba como funciona o seguro auto popular da Azul: contratação, veículos com aceitação, coberturas e formas de pagamento!

Depois de um ano de debate em torno do lançamento do seguro popular, finalmente temos uma pioneira: a Azul Seguros, do Grupo Porto Seguro, é a primeira seguradora a lançar a nova modalidade de seguro de automóvel. No post de hoje explicaremos como funciona este novo produto, com opiniões sobre as regras de aceitação, tamanho de coberturas e critério para uso de peças em consertos.

Confira e aproveite para pedir sua cotação com a gente!

Cotação Seguro Carro - 2

O que é seguro popular?

Antes de falarmos do seguro popular Azul, recomendamos assistir o vídeo abaixo no qual explicamos os principal pontos sobre o que é o seguro popular, suas diferenças com relação ao seguro tradicional e as vantagens para o consumidor.

Em linhas gerais, o seguro popular é uma nova modalidade de seguro de automóvel, com foco em modelos de 05 anos ou mais. A partir desta idade o custo de reposição de peças tende a subir o que se reflete no preço do seguro. O seguro popular cria uma alternativa ao permitir a utilização de peças usadas, mas de procedência garantida, diminuindo o custo de reposição e, logo, o preço do seguro. Estima-se que o preço do seguro possa ser reduzido em até 30% com esta opção de contratação.

Seguro popular Azul: Como funciona?

A Azul é a primeira (e única, até o momento) seguradora a lançar o seguro popular. Aqui no blog já escrevi minha teoria de “Por que a Azul é a primeira a lançar seguro popular?”, dá um pulo lá para ler e deixe sua opinião ;)

Veja abaixo os principais pontos sobre seu funcionamento:

Modelos de carros aceitos

O foco do seguro popular está, como o próprio nome já diz, em veículos populares. Por isso a regra de aceitação de modelos de veículo segue exatamente esta linha:

  • Veículos com 05 anos ou mais;
  • E carro de no máximo R$60 mil

Exemplo 1:

  • Um Fiat Bravo 2012/2012 custa em média R$34.700,00.
  • Estamos no ano 2016, portanto ele tem 05 anos de fabricação.
  • Logo o Fiat Bravo 2012/2012 poderá contratar o seguro popular.

Exemplo 2:

  • Uma BMW X3 Sport 2010/2010 custa em média R$77.000,00
  • Estamos no ano 2016, portanto ela tem 07 anos de fabricação.
  • Apesar de estar dentro do critério e 05 anos, ela tem valor superior a 60 mil, por isso não poderá contratar o seguro popular.

Opinião: Considero esses dois critérios excelentes para o seguro popular, pois são exatamente esses modelos de veículos os mais penalizados no mercado de peças conforme o tempo passa.

O código do consumidor prevê que “Os fabricantes e importadores deverão assegurar a oferta de componentes e peças de reposição enquanto não cessar a fabricação ou importação do produto.” (Art 32). Apesar desta garantia, temos visto cada vez mais modelos terem sua fabricação e/ou importação cessada, impactando não somente numa desvalorização do veículo como no potencial encarecimento das peças. Diversos modelos de veículo lançados entre 2008 e 2010 estão parando de ser produzidos, o que parece ser tendência como mostra a atual notícia de que a Volks descontinuará a fabricação de mais de 40 modelos. São exatamente esses modelos que merecem atenção nos seguro popular.

Abrangência territorial

A Azul iniciará a comercialização do seguro popular em São Paulo capital e região metropolitana. Existe a intenção de expandir para todo Brasil após este “laboratório” em SP.

Coberturas

Como o intuito do seguro popular é tornar o preço mais acessível, as coberturas são mais enxutas:

  • Cobertura básica contra perda parcial ou perda total. No caso de perda total será indenizado de 80% a 90% da Tabela FIPE (e não 100% como nos seguros tradicionais).
  • Cobertura de danos materiais ou corporais a terceiros de 25 mil reais
  • Cobertura de danos morais e estéticos opcional, entre 5 mil e 10 mil reais
  • Assistência 24h com 100 km de guincho e serviços como chaveiro e auto socorro.
  • Não há cobertura de vidros.

Opinião: A simplificação das coberturas é interessante como forma de viabilizar preço, mas requer atenção do consumidor. A limitação do percentual de cobertura da FIPE abaixo de 100% deve ser sempre mostrada ao consumidor com transparência, para que ele esteja ciente de que numa eventual indenização integral receberá menos que o valor médio total do carro.

Outro ponto que como empresa corretora de seguros consideramos importante de ressaltar é que a cobertura de terceiros de 25 mil é muito baixa. Os novos modelos de veículos que estão saindo começam praticamente todos na casa dos 40 mil e, apesar de a frota brasileira ser antiga, a cobertura de 25 mil poderá não ser suficiente em colisões com carros mais novos, assim como em situações como engavetamento na qual se colide com mais de um veículo. É interessante considerar a contratação de um seguro somente de terceiros para ter uma proteção maior.

Oficinas

No momento da contratação do seguro popular Azul o consumidor escolher se quer oficinas referenciadas ou oficinas de livre-escolha e ao longo da vigência do seguro deverá necessariamente levar no tipo (referenciada ou livre-escolha) que optou. É diferente do seguro tradicional, no qual o consumidor contrata o seguro podendo escolher qualquer oficina no momento do sinistro, apenas com diferentes benefícios e garantias.

Opinião: Consideramos este ponto interessante. No seguro tradicional existe a possibilidade de escolher tanto por oficinas referenciadas quanto de livre-escolha, mas obviamente esta liberdade de escolha está embutida no custo do seguro. Ao escolher qual tipo de oficina deseja logo no momento da contratação, o seguro popular faz a precificação alinhada ao que o consumidor realmente deseja, nem mais, nem menos.

Peças

Por fim, as peças utilizadas para consertos serão provenientes de desmanches regularizados, dentro do que é estipulado pela Lei 12.977/14 (a Lei do Desmanche). Pelo fato de serem peças usadas, são mais baratas do que peças novas, determinando o barateamento do seguro. Antes de aplicá-las no reparo do veículo segurado, deverão passar por controle de procedência e qualidade.

Não serão utilizadas peças usadas para o reparo de itens de segurança como freios, amortecedores e suspensão. Para esses itens deverão ser utilizados sempre peças originais.

Opinião: Consideramos esta dinâmica das peças muito importante não apenas para baratear o custo do seguro, como também o custo de manutenção dos veículos no geral. O debate em torno do lucro muitas vezes abusivo das montadoras com peças novas está sempre em voga e a construção de um mercado regularizado e saudável de peças usadas ajudará a pressioná-los aos poucos por preços mais justos.

Bom, é isso pessoal! Esperamos que esse texto ajude a entender melhor o que é e como funciona o seguro auto popular Azul e sua abrangência. Torcemos para que nossas opiniões também ajudem você consumidor a fazer uma contratação sempre consciente do seu seguro. Lembrando que pode contar com a gente para fazer sua cotações :)

Cotação Seguro Carro

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School). Atualmente faz especialização universitária em Law & Economics (UNICAMP), sendo também associada à Associação Brasileira de Direito e Economia (ABDE). É fundadora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como diretora comercial na DM4 Corretora de Seguros e pesquisadora independente na temática de insurance market.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Estamos de volta! Envie sua pergunta e responderemos toda sexta-feira. E por favor retribua nossa ajuda compartilhando nossos canais com amigos e familiares! :D

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *