Seguro popular Azul: como funciona? Com opiniões!

seguro-popular-azul-como-funciona-com-opinioesSaiba como funciona o seguro auto popular da Azul: contratação, veículos com aceitação, coberturas e formas de pagamento!

Depois de um ano de debate em torno do lançamento do seguro popular, finalmente temos uma pioneira: a Azul Seguros, do Grupo Porto Seguro, é a primeira seguradora a lançar a nova modalidade de seguro de automóvel. No post de hoje explicaremos como funciona este novo produto, com opiniões sobre as regras de aceitação, tamanho de coberturas e critério para uso de peças em consertos.

Confira e aproveite para pedir sua cotação com a gente!

Cotação Seguro Carro - 2

O que é seguro popular?

Antes de falarmos do seguro popular Azul, recomendamos assistir o vídeo abaixo no qual explicamos os principal pontos sobre o que é o seguro popular, suas diferenças com relação ao seguro tradicional e as vantagens para o consumidor.

Em linhas gerais, o seguro popular é uma nova modalidade de seguro de automóvel, com foco em modelos de 05 anos ou mais. A partir desta idade o custo de reposição de peças tende a subir o que se reflete no preço do seguro. O seguro popular cria uma alternativa ao permitir a utilização de peças usadas, mas de procedência garantida, diminuindo o custo de reposição e, logo, o preço do seguro. Estima-se que o preço do seguro possa ser reduzido em até 30% com esta opção de contratação.

Seguro popular Azul: Como funciona?

A Azul é a primeira (e única, até o momento) seguradora a lançar o seguro popular. Aqui no blog já escrevi minha teoria de “Por que a Azul é a primeira a lançar seguro popular?”, dá um pulo lá para ler e deixe sua opinião ;)

Veja abaixo os principais pontos sobre seu funcionamento:

Modelos de carros aceitos

O foco do seguro popular está, como o próprio nome já diz, em veículos populares. Por isso a regra de aceitação de modelos de veículo segue exatamente esta linha:

  • Veículos com 05 anos ou mais;
  • E carro de no máximo R$60 mil

Exemplo 1:

  • Um Fiat Bravo 2012/2012 custa em média R$34.700,00.
  • Estamos no ano 2016, portanto ele tem 05 anos de fabricação.
  • Logo o Fiat Bravo 2012/2012 poderá contratar o seguro popular.

Exemplo 2:

  • Uma BMW X3 Sport 2010/2010 custa em média R$77.000,00
  • Estamos no ano 2016, portanto ela tem 07 anos de fabricação.
  • Apesar de estar dentro do critério e 05 anos, ela tem valor superior a 60 mil, por isso não poderá contratar o seguro popular.

Opinião: Considero esses dois critérios excelentes para o seguro popular, pois são exatamente esses modelos de veículos os mais penalizados no mercado de peças conforme o tempo passa.

O código do consumidor prevê que “Os fabricantes e importadores deverão assegurar a oferta de componentes e peças de reposição enquanto não cessar a fabricação ou importação do produto.” (Art 32). Apesar desta garantia, temos visto cada vez mais modelos terem sua fabricação e/ou importação cessada, impactando não somente numa desvalorização do veículo como no potencial encarecimento das peças. Diversos modelos de veículo lançados entre 2008 e 2010 estão parando de ser produzidos, o que parece ser tendência como mostra a atual notícia de que a Volks descontinuará a fabricação de mais de 40 modelos. São exatamente esses modelos que merecem atenção nos seguro popular.

Abrangência territorial

A Azul iniciará a comercialização do seguro popular em São Paulo capital e região metropolitana. Existe a intenção de expandir para todo Brasil após este “laboratório” em SP.

Coberturas

Como o intuito do seguro popular é tornar o preço mais acessível, as coberturas são mais enxutas:

  • Cobertura básica contra perda parcial ou perda total. No caso de perda total será indenizado de 80% a 90% da Tabela FIPE (e não 100% como nos seguros tradicionais).
  • Cobertura de danos materiais ou corporais a terceiros de 25 mil reais
  • Cobertura de danos morais e estéticos opcional, entre 5 mil e 10 mil reais
  • Assistência 24h com 100 km de guincho e serviços como chaveiro e auto socorro.
  • Não há cobertura de vidros.

Opinião: A simplificação das coberturas é interessante como forma de viabilizar preço, mas requer atenção do consumidor. A limitação do percentual de cobertura da FIPE abaixo de 100% deve ser sempre mostrada ao consumidor com transparência, para que ele esteja ciente de que numa eventual indenização integral receberá menos que o valor médio total do carro.

Outro ponto que como empresa corretora de seguros consideramos importante de ressaltar é que a cobertura de terceiros de 25 mil é muito baixa. Os novos modelos de veículos que estão saindo começam praticamente todos na casa dos 40 mil e, apesar de a frota brasileira ser antiga, a cobertura de 25 mil poderá não ser suficiente em colisões com carros mais novos, assim como em situações como engavetamento na qual se colide com mais de um veículo. É interessante considerar a contratação de um seguro somente de terceiros para ter uma proteção maior.

Oficinas

No momento da contratação do seguro popular Azul o consumidor escolher se quer oficinas referenciadas ou oficinas de livre-escolha e ao longo da vigência do seguro deverá necessariamente levar no tipo (referenciada ou livre-escolha) que optou. É diferente do seguro tradicional, no qual o consumidor contrata o seguro podendo escolher qualquer oficina no momento do sinistro, apenas com diferentes benefícios e garantias.

Opinião: Consideramos este ponto interessante. No seguro tradicional existe a possibilidade de escolher tanto por oficinas referenciadas quanto de livre-escolha, mas obviamente esta liberdade de escolha está embutida no custo do seguro. Ao escolher qual tipo de oficina deseja logo no momento da contratação, o seguro popular faz a precificação alinhada ao que o consumidor realmente deseja, nem mais, nem menos.

Peças

Por fim, as peças utilizadas para consertos serão provenientes de desmanches regularizados, dentro do que é estipulado pela Lei 12.977/14 (a Lei do Desmanche). Pelo fato de serem peças usadas, são mais baratas do que peças novas, determinando o barateamento do seguro. Antes de aplicá-las no reparo do veículo segurado, deverão passar por controle de procedência e qualidade.

Não serão utilizadas peças usadas para o reparo de itens de segurança como freios, amortecedores e suspensão. Para esses itens deverão ser utilizados sempre peças originais.

Opinião: Consideramos esta dinâmica das peças muito importante não apenas para baratear o custo do seguro, como também o custo de manutenção dos veículos no geral. O debate em torno do lucro muitas vezes abusivo das montadoras com peças novas está sempre em voga e a construção de um mercado regularizado e saudável de peças usadas ajudará a pressioná-los aos poucos por preços mais justos.

Bom, é isso pessoal! Esperamos que esse texto ajude a entender melhor o que é e como funciona o seguro auto popular Azul e sua abrangência. Torcemos para que nossas opiniões também ajudem você consumidor a fazer uma contratação sempre consciente do seu seguro. Lembrando que pode contar com a gente para fazer sua cotações :)

Cotação Seguro Carro

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School), atualmente faz extensão universitária em Direito e Economia (UNICAMP). É desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como Gestora na DM4 Corretora de Seguros, associada do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Adicionar aos favoritos o permalink.

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: procure ser breve, pois são muitas dúvidas todos os dias! :)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *