Como funciona seguro automóvel contra enchentes e inundações

Como funciona cobertura do seguro automóvel para riscos de enchente ou inundação: Qual cobertura? O que não fazer? Qual adicional contratar? Confira aqui!

Milhões de brasileiros vivem cotidianamente expostos ao risco de enchentes. As águas das inundações causam destruição por onde passam e deixam um rastro de prejuízo. Não é diferente com veículos: carros, motos, caminhões, ônibus, não importa o tipo de veículo, podem ser pegos desprevenidos tanto estacionados quanto em circulação.

Nesses casos, existe cobertura do seguro de automóvel? Como ela funciona? Que detalhes observar para não perder a garantia de indenização do seguro? Neste post respondemos essas perguntas.

Vem com a gente e aproveite para cotar seu seguro de automóvel conosco!

cotar-seguro-auto-2021

Enchentes e inundação é básico no seguro compreensivo

O primeiro ponto que o consumidor de seguros deve ter em mente é que a cobertura para enchentes e inundações compõe a cobertura básica e obrigatória do seguro de automóvel compreensivo (popularmente conhecido como “seguro total”).

Isso é ótimo para quem tem seguro compreensivo: Não precisa contratar nenhuma cobertura opcional adicional para este risco. Mas muitas vezes não é claro para quem tem outras modalidades de seguro de automóvel, como o seguro somente para roubo e furto ou o seguro somente para terceiros. Nessas modalidades simplificadas, nunca haverá cobertura para enchente ou inundação.

Veja abaixo um exemplo de cláusula contratual que explicita a garantia de cobertura para enchentes nos seguros de automóvel compreensivo:

Como funciona a cobertura de enchentes?

Se você leu com atenção os trechos destacados do exemplo de cláusula acima, já sabe que a cobertura funciona da seguinte forma:

O seguro garantirá indenização integral no caso de perda total¹ ou reparo do veículo² quando o veículo sofrer submersão parcial ou total em água doce³, proveniente de enchentes ou inundações, inclusive nos casos de veículos guardados no subsolo⁴.

Vamos ver os pontos chave desta afirmação? Vamos!

¹ Perda total: Após a submersão o veículo é levado para oficina, necessariamente de reboque para evitar o risco de calço hidráulico. Se o orçamento da oficina equivaler a 75% ou mais do valor do carro na Tabela FIPE (ou do valor determinado), será considerado perda total e o segurado receberá indenização integral.

² Reparo do veículo (perda parcial): Se o orçamento dos reparos ficar abaixo de 75% do valor do veículo, então será considerado perda parcial. O conserto poderá ou não ser feito por meio do seguro, a depender da franquia. Para que o conserto do carro seja feito por meio do seguro é necessário pagamento da franquia obrigatória. O segurado paga a franquia e a seguradora cobre a diferença acima da franquia. Por essa razão, danos por enchentes cujo orçamento de reparo fiquem abaixo a franquia, não são cobertos pelo seguro.

³ Água doce: A cobertura de enchentes e inundações pelo seguro auto vale exclusivamente para situações que envolvam água doce. Não há cobertura para enchentes e inundações por água salgada. Situações como chuvas, rios ou córregos que sobem de nível, etc. tem cobertura por serem de água doce; mas quando, por exemplo, a ressaca do mar faz com que ondas ultrapassem a orla e cheguem às ruas e garagens de casas e prédios ao redor, atingindo veículos, é risco excluído.

⁴ Guardados no subsolo: A seguradora deixa claro que veículos que estejam guardados no subsolo, por exemplo em garagens de prédios ou estacionamentos privados, tem cobertura caso sejam pegos por enchente ou inundação de água doce.

Atenção: Não agrave o risco! Não enfrente enchentes!

Quando somos pegos por uma enchente a tentação é grande de simplesmente seguir em frente acelerando, para ver se o carro consegue passar. Se a enchente não for assustadora, esse comportamento é ainda mais comum.

Não faça isso.

Nos seguros existe algo chamado “agravamento de risco”: “Toda e qualquer ação ou omissão deliberadamente praticada pelo segurado ou motorista dos veículos segurados, que provoca aumento de probabilidade de vir a ocorrer um sinistro ou expectativa de ampliação dos danos em caso de sinistro”.

O agravamento de risco faz com que o segurado perca os direitos que tem na apólice. Em outras palavras, se você agrava o risco, a seguradora poderá negar sua cobertura.

No caso de enchentes e inundações, dentre outras não listadas, são considerados agravos de risco:

  • Tentar passar por área inundada (veículo estava seguro, não está mais; risco de calço hidráulico entre outros)
  • Tentar dirigir o carro, ao invés de chamar o reboque, após ele ser pego por enchente e a enchente ter passado (risco de calço hidráulico)
  • Tentar remover o veículo com ferramentas improvisadas

Agora, se você foi pego pela enchente e não tinha o que fazer, fique tranquilo, isso não constitui agravo de risco e sim mera fatalidade. Para ser agravamento de risco é necessário ação ou omissão deliberada e ser pego por uma enchente não é o caso.

Opcional útil: Cobertura de Higienização

A cobertura de enchentes e inundações foca na perda total ou perda parcial do veículo – que são danos de maior significância. Entretanto, é comum que veículos parcialmente submersos tenham danos bem menores que isso, ligados à limpeza e estofamento.

Pode ser interessante fazer uma higienização do estofamentos e forrações e até a troca de espumas e feltros. A cobertura básica de enchentes não servirá para isso, pois higienização é excluída da básica e, de toda forma, os valores não atingiriam a franquia.

Por isso recomenda-se a contratação de uma cobertura adicional e opcional chamada “higienização do veículo em caso de alagamento”.

Abaixo você confere exemplo de cláusula contratual do seu funcionamento.

Veja que não é possível contratá-la para motos, que os serviços garantidos podem ter um limite máximo (no exemplo, 800 reais) e que a seguradora pode condicionar a garantia de cobertura a danos menores que a franquia (afinal, se ficar acima, o seguro seria acionado como perda parcial).

O preço (prêmio) do seguro não sobe muito com a inclusão desta cobertura. Recomendamos fortemente sua contratação por pessoas que residem em cidades ou bairros com enchentes frequentes.


E você, já passou algum aperto num inundação? Eu não, mas meu marido sim. No caso dele, usamos a cobertura de higienização. O carro estava com um cheiro horroroso e higienizar fez toda diferença.

Aproveite e faça cotação do seu seguro de automóvel com a gente! :)

cotar-seguro-auto-2021

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Jessica

Economista (Unicamp) e Corretora (ENS), especialista em Direito e Economia (Unicamp), com MBA Executivo em Tendências de Inovação (Inova Business School),é desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, Maior Tira-Dúvidas Gratuito sobre Seguros da Internet e Diretora na DM4 Corretora de Seguros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *