Consigo acionar o seguro de novo para um mesmo sinistro?

Consigo acionar o seguro de novo para um mesmo sinistro?

É possível acionar o seguro duas vezes para um mesmo sinistro? Por exemplo: Acionou para o terceiro e só tempos depois decidiu acionar para seu carro. Descubra!

Recebemos a seguinte dúvida de nossa visitante Brenda:

“Boa noite. Tive um sinistro e acionei somente o seguro pra terceiros porque não tive muitos danos visíveis no meu carro. Agora 5 meses depois o meu reservatório do radiador está vazando por conta da batida, pois um fragmento da grade do para-choque ficou raspando e acabou perfurando-o. Gostaria de acionar a cobertura pra reparar esse problema além de trocar a grade do para-choque que está quebrada e sei que esses consertos vão custar mais que a minha franquia. Eu consigo acionar o seguro duas vezes pelo mesmo sinistro? Uma vez para o terceiro e outra vez para mim 5 meses depois, pagando a franquia?”

No post de hoje responderemos porque é sim possível acionar o seguro de automóvel mais de uma vez para um mesmo sinistro. Também falaremos que cuidados o segurado deve ter e como isso funciona.

Aproveite para cotar seu seguro de automóvel com a gente!

cotar-seguro-auto-2021

Acionar seguro mais de uma vez para o mesmo sinistro

Vamos começar pelo exemplo da Brenda: Ela acionou um seguro pela primeira vez para consertar o veículo do terceiro. Depois de um tempo os danos ao seu próprio veículo ficaram mais evidentes e ela gostaria de acionar o seguro uma segunda vez, agora para seu carro. O seguro precisará ser acionado uma segunda vez para o mesmo sinistro.

O contrário também poderia ocorrer: O segurado é causador de uma colisão. O terceiro (vítima) diz que vai acionar o próprio seguro, então o segurado abre o processo de sinistro apenas para seu próprio carro. Um tempo depois o terceiro lhe procura dizendo que pensou melhor e prefere entrar como terceiro no seguro dele (causador). O seguro precisará ser acionado uma segunda vez para o mesmo sinistro.

Afinal, esse segundo acionamento pode ou não ser feito?

A resposta é: sim. Mas é importante ter alguns cuidados.

Bônus e Franquia em mais de um acionamento

O seguro pode ser acionado tantas vezes quanto for necessário. Mas a depender de cada caso, isso poderá (ou não) impactar a cobrança de franquia e a classe de bônus de renovação.

A franquia é a parte dos prejuízos que o segurado paga sempre que aciona o próprio seguro para consertar seu próprio veículo. Ele paga a franquia e a seguradora cobre a diferença. A franquia é cobrada para cada evento independente. Não há franquia apenas em sinistros de indenização integral (ou seja, perda total ou roubo/furto sem localização).

Já o bônus é um desconto progressivo concedido a cada ano de renovação do seguro sem que tenha havido sinistro ou quebra de vigência. Se no ano anterior não houve sinistro e o seguro foi renovado dentro do prazo, ganha-se uma classe de bônus. Se no ano anterior houve sinistro, ao invés de ganhar, perder-se uma classe de bônus.

Quando o seguro precisa ser acionado mais de uma vez, funciona da seguinte maneira:

  • Seguro acionado mais de uma vez para um mesmo evento: Nos exemplos acima o seguro precisaria ser acionado duas vezes para um mesmo evento de sinistro. Em situações assim, ocorre a perda de apenas uma classe de bônus e a cobrança de uma única franquia, pois ainda que tenha ocorrido dois acionamentos, ambos foram originados no mesmo evento e portanto entrarão dentro do mesmo processo de sinistro. O exemplo da Brenda se enquadra aqui.
  • Seguro acionado mais de uma vez para diferentes eventos: Também pode acontecer de ao longo do ano, o segurado se envolver em mais de um sinistro, por exemplo, duas colisões distintas. Ele poderá acionar o seguro duas vezes normalmente, porém, para cada sinistro será cobrada uma franquia. Se ambos sinistros forem cobertos, na renovação ocorrerá a perda de duas classes de bônus ao invés de só uma.

Como funciona?

Agora que você já sabe quais as regras de franquia e bônus para mais de um acionamento do seguro, fica fácil entender como ele funciona na prática.

  • Seguro acionado mais de uma vez para um mesmo evento:

Voltemos ao caso da Brenda: O sinistro que ela abriu para o atender o terceiro dela ficou registrado na seguradora dentro de um processo que tem uma numeração, por exemplo “processo 123”.

Agora que ela decidiu fazer o reparo do seu carro, ela deverá contatar a seguradora (ou pedir ajuda do seu corretor de seguros) e pedir a reabertura do “processo 123”, informando que desta vez será para o conserto do veículo segurado e não de terceiro.

A seguradora solicitará novas informações e documentos: descrição do ocorrido, porque não foi feito acionamento para o veículo segurado anteriormente, documentos do veículo, entre outros. A seguradora analisará tudo isso do zero, mas dentro do mesmo “processo 123”. Ao final, dirá se há ou não cobertura para o veículo (explicarei melhor isso no próximo tópico).

Havendo autorização da seguradora, a Brenda pagará a franquia e a seguradora cobrirá a diferença.

A Brenda já havia perdido uma classe de bônus na próxima renovação devido ao sinistro coberto de terceiros. Não haverá o desconto de uma segunda classe de bônus, já que o segundo acionamento foi apenas a reabertura do sinistro decorrente do mesmo evento.

Em resumo: Quando o seguro é acionado uma segunda vez para o mesmo evento de sinistro, o processo anterior é reaberto para inserir as atualizações e passará por nova análise. Não haverá desconto de nova franquia ou bônus.

  • Seguro acionado mais de uma vez para diferentes evento:

Não é o caso da Brenda, mas é importante explicarmos para o caso de outros visitantes estarem vivendo algo do tipo:

Um segurado sofre uma colisão em Janeiro, aciona o seguro, paga a franquia e tem o veículo consertado. Na renovação será descontada uma classe de bônus. O sinistro foi registrado no “processo 456”.

Em Março ele sofre outra colisão e aciona o seguro pela segunda vez. Como se trata de um evento independente do primeiro, ele precisará pagar a franquia novamente e na renovação, ao invés de perder 01 classe de bônus, perderá duas. O sinistro será registrado num processo diferente do anterior, por exemplo “processo 789”.

Em resumo: Quando o seguro é acionado uma segunda vez para um evento de sinistro independente do primeiro, é aberto um novo processo de sinistro sem relação com o processo anterior. Haverá a cobrança de duas franquias e a perda de duas classes de bônus.

Análise da seguradora

É importante ter alguns cuidados sempre que ocorre um sinistro para que ele possa ser reaberto posteriormente com maior tranquilidade e sem comprometer a garantia de cobertura:

  • Sempre faça o aviso de sinistro:

Sempre que ocorre um sinistro, como por exemplo uma colisão, é importante fazer um “aviso de sinistro” na sua seguradora, ainda que não vá acionar o seguro de fato.

Por que avisar a seguradora se não vou acionar o seguro?

Porque no futuro as consequências desse evento de sinistro que não apareceram ainda poderão aparecer. O simples aviso de sinistro não gera perda de bônus ou cobrança de franquia, apenas registra a ocorrência na seguradora para garantir cobertura se for necessário no futuro.

Imagine que um segurado colidiu com outro veículo. A vítima tinha seguro e optou por acionar o seguro dela. O segurado fez os orçamentos numa oficina e, vendo que não atingiu a franquia, não acionou o seguro mas fez o aviso de sinistro que ficou guardado na seguradora. Futuramente, a seguradora da vítima procurou esse segurado cobrando os valores indenizado por ela à vítima. O segurado poderá contatar a seguradora e transformar o aviso de sinistro que estava guardado num processo de sinistro aberto para cobrir os valores do prejuízo da vítima que foram cobertos pela seguradora dela.

Se ele não tivesse feito o aviso de sinistro, a seguradora dele não saberia de nada. Quando ele abrisse o sinistro meses depois, ela poderia questionar por que não foi notificada antes e, se houvesse alguma irregularidade, o sinistro poderia ser negado.

As cláusulas contratuais (também chamadas de Condições Gerais) de todas as seguradoras preveem o dever do segurado em fazer aviso de sinistro sempre que ocorrer algo.

Mas calma, o fato de não fazer o aviso de sinistro não é suficiente para seguradora negar cobertura. Ele apenas dá margem para que sejam solicitadas mais informações e seja feita uma análise mais criteriosa sobre a possibilidade de fraude.

  • Se houve danos, faça vistoria por precaução:

Quando um sinistro de seguro de automóvel é aberto, a seguradora envia um vistoriador até a oficina para conferir o estado do veículo e laudo da oficina. Algumas seguradoras já aceitam vistorias digitais, por meio de fotos enviadas dentro de aplicativos específicos.

Mesmo que os danos aparentemente não vão atingir a franquia, sempre que possível é recomendável fazer essa vistoria. Isso porque ficará registrado quais foram os danos mais aparentes por meio de laudo e foto do vistoriador ou aplicativo. Posteriormente isso ajudará a seguradora a confirmar que o sinistro ocorreu conforme a descrição do segurado quando o processo de sinistro for efetivamente aberto.

O caso da Brenda é um bom exemplo sobre esse ponto.

Como ela atendeu o terceiro por meio do seguro dela, o sinistro foi aberto normalmente e os procedimentos foram feitos. Agora que apareceu um dano não constatado inicialmente no veículo dela, ela poderá reabrir aquele sinistro. Como esse processo já tinha todas informações necessárias, fica mais fácil de a seguradora confirmar se o dano teve ou não origem naquele evento.

Imagine agora que ela não tivesse atendido o terceiro no seguro dela. Imagine também que ela não fez nem aviso de sinistro e nem vistoria, mas apenas consertou os danos de funilaria particularmente. Dias depois apareceram os danos na grade do para-choque e no radiador. Quando ele fosse abrir o sinistro, toda parte de funilaria já estaria consertada, sem registros de como estava antes! Dificultaria para a seguradora analisar o sinistro.

O fato de não ter feito abertura do sinistro e vistoria não é suficiente para que a seguradora negue a cobertura. É possível abrir o sinistro normalmente. Mas a depender de cada caso, esse fato poderá fazer com que a análise seja mais difícil ou criteriosa.

Conclusão

É possível acionar o seguro mais de uma vez para um mesmo sinistro. Caso se trate de um mesmo evento, será reaberto o mesmo processo de sinistro. Caso se trate de eventos diferentes, será aberto um processo de sinistro para cada evento.

É recomendável fazer aviso de sinistro e vistoria de sinistro ainda que o seguro não vá ser acionado, para facilitar acionamento da apólice no futuro. Porém, a falta de aviso ou vistoria não impede de abrir sinistro no futuro.

Cada evento de sinistro gera a perda de uma classe de bônus e cobrança de uma franquia. Se o segundo acionamento é referente ao mesmo evento do primeiro, cobra-se uma única franquia e perde um só bônus. Se o segundo acionamento é referente a evento distinto do primeiro, haverá duas franquias e perda de duas classes de bônus.


E você, já precisou reabrir um processo de sinistro? Já teve mais de um sinistro num mesmo ano?

Aproveite para cotar seu seguro de automóvel com a gente!

cotar-seguro-auto-2021

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Jessica

Economista (Unicamp) e Corretora (ENS), especialista em Direito e Economia (Unicamp), com MBA Executivo em Tendências de Inovação (Inova Business School),é desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, Maior Tira-Dúvidas Gratuito sobre Seguros da Internet e Diretora na DM4 Corretora de Seguros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.