Guincho do seguro tem limite de km separado para ida e volta

Guincho do seguro tem limite de km separado para ida e volta

“Meu seguro estipula limites de guincho separados para ida e volta. Isso pode?”. No post de hoje respondemos essa questão do nosso visitante!

Nossa visitante Fernanda nos enviou a seguinte dúvida:

Na AMD proteção veicular o plano é reboque 300Km, sendo 150KM ida e 150KM volta…ou seja…eles contam a quilometragem até o guincho chegar ao veiculo (até 150km) e depois de pegar o veiculo (150km). Mesmo que meu carro esteja a 30 km do reboque, eu só tenho 150km da volta….esses 120 km que não “utilizei” do guincho até mim se perde. Isso pode fazer???”

Hoje responderemos essa dúvida.

Aproveite para cotar seu seguro de automóvel com a gente!

cotar-seguro-auto-2021

Limites de ida e volta do guincho no seguro

Proteção veicular não é seguro

Antes de tudo, é importante frisar que somos uma corretora de seguros que trabalha exclusivamente com seguradoras autorizadas pela SUSEP (órgão que regulamenta o mercado de seguros no Brasil).

Produtos oferecidos por cooperativas e associações, popularmente conhecidos como proteção veicular, são diferentes dos seguros regulares. Por conta disso, não temos acesso a contratos desse tipo de produto. Nossas orientações são baseadas nas boas práticas do mercado de seguros regular e no Código de Defesa do Consumidor.

Pode ter guincho com limite para ida separado do limite de volta?

Não há uma “lei” que estipule como deve ser o limite de guincho oferecido em assistências 24h. Em tese as empresas tem liberdade para estipular regras sobre isso. Porém essas regras não podem ser prejudiciais ao consumidor, assim como precisam ser passadas de forma clara antes e após a contratação.

Nos seguros regulares não há separação do limite de quilometragem entre ida e volta. O limite previsto no contrato conta do ponto em que o veículo é guinchado até o ponto em que o veículo é entregue. Ou seja, não há contagem da “ida”, apenas da “volta”.

O segurado paga apenas a quilometragem que ultrapassar o limite previsto na apólice. Se não ultrapassar, não paga nada.

Exemplo: Segurado está viajando e veículo para por conta de uma pane elétrica. Ele tem assistência 24h com 200 km de reboque e chama o guincho. O guincho está em outra cidade e se desloca 100 km para chegar até o local. Ele faz o reboque e leva o veículo para uma auto elétrica a 200 km dali. Este segurado não precisará pagar nada pelo guincho, pois o seguro considerará apenas os 200 km de veículo rebocado, sem somar os 100 km percorridos para chegar até ele.

No relato trazido pela Fernanda, vemos que o serviço de proteção veicular estipula um limite para ida e outro para volta. Se ela não usa todo o limite de ida, a empresa não permite usar esse “saldo” para a volta.

Por se tratar de proteção veicular não temos acesso aos contratos para entender melhor. Por isso nossa recomendação é a seguinte:

  • Verificar se no momento da oferta do produto, esses detalhes foram passados de forma clara.
  • Verificar se essa regra consta no contrato do serviço de forma clara.

Se qualquer desses dois pontos não forem claros e o consumidor se sentir de alguma forma ludibriado, recomendamos primeiramente abrir uma reclamação na empresa e guardar o protocolo. Se não houver solução nesse canal, recomenda-se buscar os órgãos de defesa do consumidor e a SUSEP apresentando esse protocolo e outras informações que julgar pertinente.

O Código do Consumidor é claro com relação a responsabilidade da empresa de fornecer informações claras e completas para o consumidor antes e após a contratação.

Há ainda a possibilidade de questionar se essa regra, mesmo se explicada de forma clara, não é prejudicial ao consumidor. Afinal, a distância de ida e volta do guincho nunca serão iguais e ele “perderá” uma parte de quilometragem que poderia usar se fosse um único limite.

Apesar disso, a empresa poderá argumentar que está seguindo o contrato. Aí a solução dependeria de uma disputa nos órgãos de defesa do consumidor ou em vias judiciais, sem garantia de qual seria o parecer do juiz.


Espero que essas informações ajudem de alguma forma!

Aproveite para cotar seu seguro de automóvel com a gente!

cotar-seguro-auto-2021

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Jessica

Economista (Unicamp) e Corretora (ENS), especialista em Direito e Economia (Unicamp), com MBA Executivo em Tendências de Inovação (Inova Business School),é desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, Maior Tira-Dúvidas Gratuito sobre Seguros da Internet e Diretora na DM4 Corretora de Seguros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.