O que é cobertura de casco no seguro de automóvel?

O que é cobertura de casco no seguro de automóvel?

Já pegou um orçamento de seguro de automóvel e viu escrito “cobertura de casco”? Afinal, o que é isso e como funciona? Descubra já aqui!

Se você pegar qualquer orçamento de seguro de automóvel, em algum momento se deparará com o termo “cobertura de casco”. Muitos consumidores ficam confusos sobre o que isso significa: o que é o casco? E o que está incluso ou excluído na cobertura de casco?

No post de hoje responderemos essas questões,

Aproveite e cote seu seguro de automóvel com a gente! :D

cotar-seguro-auto-2021

Cobertura de Casco no Seguro

O que é o “casco”?

Quando falamos em “casco” no seguro de automóvel, nos referimos ao veículo como um todo, inclusos os itens de série: lataria, parte mecânica, parte elétrica, etc. Tudo que compõe aquele modelo dentro das especificações originais e pelo que não se pagou nenhum valor adicional para inclusão.

É o modelo de fábrica que consta especificado no documento de propriedade (CRV) e que, para seguros contratados na modalidade de valor referenciado, serve de referência para enquadrar na Tabela FIPE.

No momento da compra de um carro é possível incluir itens não de série, originais ou não de fábrica. Esses itens não de série não são considerados parte do casco, para efeitos do seguro.

Exemplo 1: Suponha que o segurado comprou um Jeep Renegade Sport T270 1.3 TB 4×2 Flex Automático pelo valor da Tabela FIPE da época, R$ 129.331,00. Na compra ele quis colocar bancos de couro diferenciados, pagando 2.000 reais a mais para isso. Para efeitos do seguro, o casco é o modelo com configurações originais no valor de R$ 129.331,00. Os bancos diferenciados de R$ 2.000 não são considerados como parte do casco, sendo enquadrados separadamente como acessórios.

Para saber como consultar a Tabela FIPE, recomendo a leitura deste outro post.

O que é a “cobertura de casco” no seguro?

Agora que você já sabe o que é casco, fica fácil entender o que é a cobertura de casco.

Todo seguro de automóvel é composto por diversos tipos de coberturas. Algumas dizem respeito ao próprio veículo segurado e outras dizem respeito a coisas diferentes, como danos a terceiros e danos a passageiros.

A cobertura de casco trata de todas as coberturas referentes ao próprio veículo segurado:

  • Cobertura de colisão, incêndio, raio, explosão:
    • É considerado perda total quando o orçamento para reparo é igual ou superior a 75% do valor do casco. Nesses casos a cobertura de casco garantirá indenização integral com base na Tabela FIPE do modelo que consta na apólice.
    • É considerado perda parcial quando o orçamento para reparo é inferior à 75% do valor do casco. Nesses casos a cobertura de casco garantirá o conserto do carro mediante pagamento da franquia. O segurado paga a franquia e a seguradora cobre a diferença.
  • Cobertura de roubo ou furto sem recuperação: A cobertura de casco garante indenização integral com base na Tabela FIPE do modelo que consta na apólice.

Qualquer conserto realizado por meio da cobertura de casco, usará como referência itens de série. Ou seja, se for necessária a troca de alguma peça, a nova peça será necessariamente do mesmo padrão dos itens de série.

O mesmo vale para o valor indenizatório no caso de perda total: a indenização será sempre referente aos valores de itens de série.

Para que o seguro garanta troca de itens não de série é necessário atenção aos pontos explicados abaixo.

Como cobrir itens não de série?

Como vimos acima, a cobertura de casco foca exclusivamente nos modelos com itens de série. Caso o segurado tenha pago por itens não de série, ainda que originais de fábrica, eles não estarão garantidos pela cobertura de casco.

Para garantir itens não de série é necessário contratar uma cobertura adicional para acessórios.

Cada seguradora tem suas regras sobre os tipos de itens e limites máximos de indenização aceitos na cobertura de acessórios. Por isso é sempre recomendado solicitar ao corretor responsável para checar essas regras para você.

No caso de sinistro, a cobertura de acessórios garantirá que o reparo não usará um item de série e sim um item equivalente àquele da cobertura de acessório. Ou, no caso de indenização integral, ocorrerá o acréscimo desse item ao valor final.

Exemplo 2: Em nosso exemplo 1, se o segurado contratasse apenas a cobertura de casco para o Jeep, não haveria garantia de cobertura para os bancos diferenciados. A seguradora garantiria bancos dentro dos padrões de série do modelo. Para garantir cobertura dos bancos diferenciados, ele precisa contratar cobertura de acessórios no valor de R$2.000.

Vidros fazem parte do casco?

Vidros, faróis, retrovisores e lanternas de série fazem parte da cobertura de casco. Apesar disso, quando você faz seu seguro, é possível contratar cobertura adicional para eles. Por que isso acontece?

Ocorre que para acionar a cobertura de casco é necessário que os custos de reparação ultrapassem a franquia de casco. Danos a vidros, faróis, retrovisores e lanternas sempre ficam abaixo desse valor e, por isso, o segurado nunca conseguiria repará-los usando o seguro se dependesse somente da cobertura de casco.

Por conta disso as seguradoras criaram coberturas opcionais separadas para vidros, faróis, retrovisores e lanternas. Essas coberturas podem ser acionadas quando o item é quebrado, trincado, riscado etc. O segurado paga uma pequena franquia específica daquele item (se houver) e a seguradora cobre a diferença.

No caso de uma colisão em que, além da funilaria e mecânica, ocorra quebra de vidros, entrará tudo junto na cobertura de casco.

Exemplo 3: Imagine que o segurado tem apólice com franquia de casco de 2.000 reais e cobertura de vidros sem franquia. Dirigindo na estrada o para-brisa é acertado por uma pedra e quebra. A troca fica em 600 reais. Se dependesse da cobertura de casco, não seria possível acionar o seguro, pois o custo ficou abaixo da franquia de 2.000. Porém, com a cobertura adicional de vidros não há necessidade de atingir a franquia de casco: a seguradora cobrirá a troca independente da franquia de casco.

Cobertura de casco é independente de RCF-V e APP

Quando o segurado contrata o seguro de automóvel compreensivo, ele também pode incluir a cobertura de danos a terceiros (RCF-V) e acidentes pessoais a passageiros (APP).

São coberturas separadas da cobertura de casco e, portanto, podem ser acionadas de forma independente uma da outra. Quando o segurado se envolve num sinistro com terceiros ou passageiros e danos a seu próprio carro, ele pode optar por acionar todas as coberturas ou somente uma delas.

Isso é importante especialmente nos casos em que o segurado é causador de uma colisão, mas os danos a seu próprio carro não chegam a atingir a franquia. Ele não poderá acionar o seguro para seu próprio carro, mas poderá acionar a cobertura de danos materiais a terceiros para consertar o veículo da vítima.

Exemplo 4: O segurado tem apólice com cobertura de casco e danos a terceiros. Acidentalmente ele causa uma colisão, danificando seu próprio carro e o carro da vítima. O segurado poderá escolher entre a) acionar a cobertura de casco + cobertura de terceiros; b) acionar somente cobertura de casco; c) acionar somente cobertura de terceiros.


E você, já conhecia o termo “cobertura de casco”? Já reparou como ele aparece na apólice do seu seguro?

Aproveite e cote seu seguro de automóvel com a gente! :D

cotar-seguro-auto-2021

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Jessica

Economista (Unicamp) e Corretora (ENS), especialista em Direito e Economia (Unicamp), com MBA Executivo em Tendências de Inovação (Inova Business School),é desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, Maior Tira-Dúvidas Gratuito sobre Seguros da Internet e Diretora na DM4 Corretora de Seguros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.