Substituição de garantia em sinistro no seguro: 5 passos!

Substituição de garantia em sinistro no seguro 5 passos

Teve sinistro de indenização integral no seguro, quer fazer substituição da garantia, mas não tem ideia de como começar? Aprenda já!

Existem situações em que o melhor caminho para o segurado num sinistro de indenização integral é a substituição de garantia. Porém, muita gente desconhece este procedimento. Hoje explicaremos para quem é indicado e como funciona em 5 passos!

Aproveite para cotar seu seguro de automóvel com a gente! :)

cotar-seguro-auto-2021

Substituição de Garantia no Seguro

O que é

Quando um carro é comprado alienado, existe um contrato daquela dívida. O carro é considerado a “garantia” da dívida no contrato: caso a pessoa deixe de pagar o financiamento/consórcio, a financeira/operadora poderá entrar com um processo de busca e apreensão sobre a garantia, ou seja, o carro.

A substituição da garantia é um processo no qual se tira a garantia antiga e coloca outra no lugar; ou seja, tira-se o carro anterior da dívida e coloca-se um novo.

A substituição de garantia usando o seguro é quando este procedimento é feito usando a indenização integral do seguro para adquirir o novo carro que entra no lugar do antigo como garantia. Veremos em detalhes a seguir.

Opções no seguro:
Quitação do saldo devedor X Substituição de garantia

A substituição de garantia é uma dentre outras opções de caminho na indenização de veículos alienados.

Quando ocorre um sinistro de indenização integral, a seguradora transfere a propriedade do veículo sinistrado para seu nome e então paga a indenização ao proprietário.

Para veículos quitados, esse procedimento é feito diretamente. Já para veículos alienados, antes é necessário dar baixa no gravame. Essa baixa ocorre por quitação do saldo devedor ou por substituição de garantia (detalhes aqui).

  • Quitação do saldo devedor: Quita as dívidas do veículo. Livre de alienação, é feita baixa do gravame. Seguradora pode transferir para seu nome e indenizar proprietário.
  • Substituição da garantia: Adquire outro veículo. Novo veículo é alienado no lugar do antigo. Antigo veículo fica livre de alienação e é feita baixa de seu gravame. Seguradora pode transferí-lo e indenização é usada para para a loja que vendeu o novo veículo.

Para quem é indicado?

Sabendo que existe o caminho de quitação do saldo devedor, por que então fazer substituição de garantia? Em outras palavras: para quem é indicado esse caminho?

No seguro, este procedimento é indicado nos processos de sinistro de indenização integral nos quais o saldo devedor do veículo alienado é muito alto ou até maior do que o valor do carro.

Como a dívida é muito grande, vale mais a pena usar o crédito anterior para adquirir um novo carro do que quitar a dívida e ficar sem nada.

Como funciona o processo de substituição de garantia?

Antes de saber o que você tem que fazer na substituição da garantia, é importante entender em linhas gerais como funciona o processo de substituição.

Em linhas gerais, o que ocorre é a troca do carro antigo por um novo dentro da dívida, sem que ela tenha sido quitada. A indenização do seguro será usada para isso. Abaixo veja como isso funciona:

(1) A seguradora só paga a indenização integral de veículos alienados se ocorrer a baixa do gravame (ou seja, o carro for desalienado). Sem a baixa do gravame, não é possível a seguradora transferir o carro avariado para propriedade dela. Por isso: sem baixa do gravame, sem indenização.

Portanto é necessário que ocorra a baixa do gravame. Ela dependerá da financeira:

(2) A financeira ou administradora de consórcio só fará a baixa do gravame em duas alternativas: a) ou o saldo devedor é quitado; b) ou o bem anterior é substituído por outro como garantia. Vamos focar na substituição da garantia, que é assunto desse texto.

Para fazer a baixa do gravame do carro anterior, a financeira/administradora precisa obrigatoriamente que antes seja colocado outro carro como garantia no lugar do antigo. A financeira/administradora não fará a baixa do gravame sem antes ter um nova garantia no contrato.

Portanto é necessário encontrar essa nova garantia, ou seja, esse novo veículo. Quem venderá o novo carro será uma loja.

(3) A loja fará a venda do novo carro, sem receber o dinheiro num primeiro momento. O carro novo ficará alienado no lugar do antigo e a loja aguardará o comprador receber a indenização do seguro para repassar o dinheiro a ela.

Como a loja aliena o novo carro sem antes receber o dinheiro, ela tomará diversas precauções, como análise de crédito e histórico do comprador. Também só entregará o carro após recebimento do dinheiro.

(4) A financeira/administradora do consórcio fará a substituição do carro antigo pelo novo carro. Após, fará a baixa do gravame do carro antigo e enviará à seguradora.

(5) Após receber a baixa do gravame, a seguradora liberará o pagamento da indenização integral ao segurado.

(6) O segurado repassará esse dinheiro à loja para concluir a operação e poder retirar o novo carro. Este novo carro estará alienado no lugar do antigo. E fim.

É uma operação complexa. O importante é ter uma noção geral de como funciona a substituição de garantia usando a indenização do seguro, para saber qual é o seu papel em todos esses procedimentos.

5 passos para o segurado

Ok, você já sabe como funciona o procedimento da substituição, agora é importantíssimo entender o que VOCÊ tem que fazer para que isso dê certo. Vamos às dicas:

Passo nº 1: Informar à seguradora que tentará fazer a substituição de garantia

seguradora não tem nenhum poder de decisão sobre a substituição da garantia. A autorização da substituição da garantia é feita pela loja e financeira com as quais vocês adquirirá o novo carro/moto e por isso é a elas que você deverá fazer a solicitação da substituição.

Apesar de a seguradora não influenciar nesta autorização, o primeiro passo é avisar a seguradora que você tentará fazer a substituição. Se você não avisar a seguradora ela dará sequência no sinistro considerando o caminho da quitação do saldo devedor. Avise também seu corretor de seguros para que ele esteja ciente e lhe ajude se necessário.

Se não for feito esse aviso e a seguradora chegar a pagar o termo de quitação, não será mais possível fazer o caminho da substituição de garantia.

Feito o aviso à seguradora de que irá tentar a substituição, o processo de sinistro ficará parado aguardando você fazer os próximos passos.

Passo nº 2: Qual o valor da indenização integral?

Avisou seu corretor de seguros e sua seguradora? Ok, vamos ao próximo passo!

A grandíssima maioria das pessoas faz a contratação de cobertura de valor referenciada, que é aquela na qual a o valor da indenização toma por referência a Tabela FIPE. Nesta modalidade de cobertura, quando ocorre perda total ou roubo/furto sem recuperação do veículo, o seguro compreensivo pagará indenização integral com base no percentual contratado da Tabela FIPE. Por isso você deverá verificar no site da Tabela FIPE qual o valor do seu veículo. Neste post ensinamos como fazer uma consulta no site da Tabela FIPE.

Outra modalidade de cobertura é a de valor determinado, que paga indenização conforme o valor fixo estipulado no momento da contratação do seguro. Esta forma é menos comum. Contudo, se você tiver contratado cobertura de valor determinado, o valor de indenização será o valor fixo escolhido.

Anote essa informação.

Passo nº 3: Verifique no contrato de financiamento/consórcio as condições da substituição da garantia

As financeiras e administradoras de consórcio costumam inserir em seus contratos regras específicas para a substituição da garantia. Leia o contrato com atenção e cheque se já cobrança de alguma taxa para fazer a substituição.

Contate também sua financeira ou administradora de consórcio para checar se há limitação quanto a ano de fabricação e valor de veículo que pode entrar no lugar do antigo.

Anote essas informações.

Passo nº 4: Solicite autorização de substituição da garantia à loja e faça a substituição de garantia

Nos passo nº 2 e nº 3 você terá obtido as seguintes informações:

  • Valor de indenização a ser paga pela seguradora
  • Ano de modelo e limite de valor do novo carro  autorizado pela financeira

Com essas informações em mãos, vá até a loja onde pretende adquirir o novo carro. Informe à loja que ocorreu perda total ou roubo/furto do veículo que você tinha e que gostaria de usar a indenização do seguro para fazer a substituição da garantia. Mostre as informações acima para que eles analisem.

A loja é quem dirá se aceita ou não fazer o procedimento. Como vimos ela é a ponta que corre maior risco no processo de substituição da garantia, pois fará a venda do carro sem antes ter recebido. Por isso quanto mais informações e garantias você der a loja, melhor para facilitar a liberação por ela.

Como nem todas lojas aceitam fazer a substituição, uma dica é consultar lojas onde você já tenha bom relacionamento ou onde foi adquirido o carro anterior. Como a loja terá seu histórico, ajuda na análise.

Além da análise do histórico do cliente a autorização pela loja também poderá depender de fatores como análise de crédito, situação das parcelas do financiamento/consórcio (se estão em dia), entre outros critérios dessas empresas. Como não atuamos nesta área, não temos grandes detalhes, mas a loja certamente poderá lhe informar quais são os critérios dela.

Havendo autorização da parte da loja, você poderá escolher um novo carro.

Escolhido e liberada a compra do novo carro pela loja, acompanhe o envio de dados para a financeira. A financeira substituirá o carro antigo pelo novo carro na garantia do contrato de alienação.

Passo nº 5: Receba da seguradora e pague a loja

Feita a substituição do carro antigo pelo novo, a financeira fará a baixa do gravame do carro antigo. Essa baixa deverá ser enviada a sua seguradora. Acompanhe esse processo para se certificar que a financeira enviou à baixa a seguradora – é comum ocorrerem desencontros nessa hora.

Recebida a baixa do gravame, a seguradora liberará o pagamento da indenização integral ao segurado.

Recebida a indenização integral, repasse o valor devido à loja.

E fim.


E aí, foi útil esse passo a passo? Espero que sim, porque deu um trabalhão fazer rs!

Aproveite para cotar seu seguro de automóvel com a gente! :)

cotar-seguro-auto-2021

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Jessica

Economista (Unicamp) e Corretora (ENS), especialista em Direito e Economia (Unicamp), com MBA Executivo em Tendências de Inovação (Inova Business School),é desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, Maior Tira-Dúvidas Gratuito sobre Seguros da Internet e Diretora na DM4 Corretora de Seguros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.