Perda total veículo consórcio: como funciona indenização integral?

perda-total-veiculo-consorcio-como-funciona-indenizacao-integralDescubra como funciona a indenização integral de veículo de consórcio nos casos de perda total por colisão ou roubo/furto sem recuperação!

Nosso visitante Henrique nos enviou a seguinte questão:

“Meu carro foi roubado mas ele é de consórcio. Quem recebe a indenização: eu ou a administradora do consórcio, sendo que ainda não quitei o consórcio?”

Confira nossa resposta:

Olá Henrique, tudo bom? :)

Veículos adquiridos com consórcio e com saldo devedor ainda não quitado, são considerados “alienados”. Por conta disso, no caso de perda total por colisão ou roubo/furto sem recuperação, há três caminhos possíveis:

  • Caminho nº 1: A seguradora quita o saldo devedor e o segurado recebe a diferença que houver.
  • Caminho nº 2: O segurado quita o saldo devedor e recebe o valor integral da indenização.
  • Caminho nº 3: O segurado faz a substituição da garantia usando a indenização do seguro, ou seja, troca o veículo alienado no consórcio por um outro.

Vamos entender cada um desses caminhos:

Sempre que ocorre perda total por colisão ou roubo/furto sem recuperação do veículo, o valor total da indenização integral será conforme o percentual contratado da Tabela FIPE. Por exemplo: Se o segurado contratou cobertura de 100% da Tabela FIPE e o modelo do carro vale R$50.000,00 na FIPE, então o valor total da indenização será de  100% de R$50.000,00.

Para veículos alienados em consórcio ou financiamento CDC, o carro sinistrado precisa ser quitado para que possa ser feita a baixa do gravame e a seguradora possa transferir a propriedade do veículo para ela. Sem esses procedimentos o seguro não consegue liberar o pagamento da indenização. É aqui que entram os 03 caminhos alternativos que mencionamos.

No nosso exemplo anterior, suponha que o carro sinistrado de R$50.000 tinha um saldo devedor junto à Administradora do consórcio de R$10.000.

  • Caminho nº 1: Seguindo pelo caminho da quitação do saldo devedor pelo seguro, a seguradora quitaria o saldo devedor de R$10.000, seria feita baixa do gravame e o carro sinistrado transferido para a seguradora. O segurado receberia 50.000 – 10.000 = R$40.000.
  • Caminho nº 2: Se o segurado preferir ele próprio pode quitar o saldo devedor e depois receber a indenização integral do seguro sem descontos. Neste caso o segurado quitaria o saldo de R$10.000, enviaria as cópias dos comprovantes à seguradora e, após a baixa do gravame, a seguradora faria a transferência do veículo sinistrado para ela. Feito tudo isso, a seguradora pagaria os R$50.000 integrais ao segurado, sem descontar o saldo devedor que já foi quitado.
  • Caminho nº 3: Em alguns casos pode ocorrer de o saldo devedor do consórcio ser muito alto e o segurado não ver vantagem em receber a diferença, a qual será pequena e insuficiente para dar lance em novo consórcio ou entrada em um financiamento. Para essas situações existe o caminho da substituição da garantia, no qual o veículo sinistrado é substituído por um novo veículo usando a indenização integral do seguro. O saldo devedor, prazo e valor de parcelas são atualizados conforme a negociação feita na substituição.
    Para fazer este procedimento é necessário consultar a Administradora e a loja onde pretende-se adquirir o novo veículo e checar se há aceitação. Geralmente as Administradoras de consórcio de automóvel cobram um taxa de substituição de garantia.
    Havendo autorização da Administradora e da loja em fazer a substituição, o antigo veículo será desalienado e após baixa do gravame será transferido à seguradora. A indenização será paga ao segurado que deverá repassá-la à Administradora para fazer a alienação do novo veículo.

Respondendo a questão do sr. Henrique, para saber quem receberá a indenização e qual o valor dependerá de qual dos 03 caminhos acima o segurado escolher.

Esperamos que essas informações ajudem!

Aproveite e peça sua cotação de seguro de automóvel com a gente ;D

Cotação Seguro Carro - 2

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School), atualmente faz extensão universitária em Direito e Economia (UNICAMP). É desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como Gestora na DM4 Corretora de Seguros, associada do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Adicionar aos favoritos o permalink.

10 Responses to Perda total veículo consórcio: como funciona indenização integral?

  1. Janilson diz:

    Tenho um consórcio peguei meu carro mais colidir deu pt, minha seguradora tive quer colocar na justiça pois ela não queria pagar 100% da minha cobertura. Desde então não consegui pagar o meu consórcio já faz mais de 1ano só agora eu ganhei a questão o quer devo fazer a seguradora ainda não me pagou porém.

    • Jessica diz:

      Janilson, Boa tarde!

      Será necessário verificar com a Aministradora do consórcio como consta a dívida. Em princípio k procedimento normal seria a Administradora emitir um termo de quitação do saldo devedor, que seria pago pela seguradora e, depois, feita a baixa do gravame você receberia a diferença. Porém como o consórcio ficou inadimplente não sabemos ao certo qual será o procedimento da Administradora sendo necessário checar.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/ZGa6xU12cJs

      Atenciosamente,

  2. Geovanini diz:

    Recebi indenização do seguro e não fizeram a transferência do veículo como proceder tendo em vista que preciso da baixa pois sou taxista

    • Jessica diz:

      Geovanini, bom dia!

      Recomendamos solicitar ajuda do corretor responsável pela apólice para verificar junto à seguradora porque não foi feita transferência ainda. Eles deverão verificar se há alguma restrição ou pendência para finalizar ou se foi atraso nos procedimentos internos da companhia.
      Informe a seguradora sobre a urgência de finalizar o procedimento por ser táxi. Anote os protocolos de atendimento.

      Se não houver solução desta maneira, contate o SAC e posteriormente a Ouvidoria informando os protocolos de atendimento para abrir reclamação.
      Em último caso é necessário buscar as Pequenas Causas.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/yx53w16XnbY

      Atenciosamente,

  3. Danielle diz:

    Jessica boa tarde! Meu veículo e de consorcio foi roubado e agora a seguradora só ira me pagar apos a baixa do gramave que ocorrera somente dez dias úteis da data da próxima assembleia (20/02/17) , pois diz ter que aguardar a próxima assembleia do mês de quitação do consórcio. Entendo q esteja em clausula contratual porem para roubo deveria existir uma outro regra(exceção) existe? Pois vou receber praticamente 90 dias apos o sinistro. Onde deveria ser 30.

    • Jessica diz:

      Danielle, boa tarde!

      Sem a baixa do gravame a seguradora não libera o pagamento da indenização integral pois não tem comprovante de que o veículo foi “desalienado”.
      Se as cláusulas contratuais do consórcio estipulam que a baixa do gravem só pode ser feita após a assembléia, o pagamento da indenização pelo seguro fica dependendo desse prazo. Será necessário checar com a administradora do consórcio se é possível flexibilizar este prazo para fazer a baixa do gravame antes.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/BuRt_wLuC_g

      Atenciosamente,

  4. Claudio diz:

    Se roubarem um carro financiado o seguro quita as parcelas que faltam mas com o descontos dos juros?

    • Jessica diz:

      Claudio, boa tarde!

      O valor da indenização integral é dado pelo percentual contratado da Tabela FIPE, considerando apenas o valor médio do modelo do carro. Portanto não considera juros de financiamento ou valores de entrada.
      No caso de indenização integral (por perda total, roubo/furto sem recuperação etc.) de veículo financiado, há dois caminhos: a) quitação do saldo devedor ou b) substituição da garantia.
      Explicamos ambos os caminhos neste outro post, o qual recomendamos a leitura: “Indenização integral do seguro de veículos financiados”
      Se permanecer com dúvidas após a leitura, volte a nos contatar.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/U2RKAUAeRbE

      Atenciosamente,

  5. Henrique diz:

    Muito obrigado pela informação, me ajudou bastante.

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: procure ser breve, pois são muitas dúvidas todos os dias! :)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *