Franquia normal ou franquia reduzida: qual a melhor opção?

Confira dicas para saber qual a melhor opção para seu caso: franquia normal ou franquia reduzida?

Na hora de contratar o seguro de seu automóvel é muito importante escolher com cuidado as coberturas desejadas, e não só isso: é de extrema importância escolher a melhor franquia para seu caso. Confira algumas dicas simples que o ajudarão a escolher entre a franquia normal e a franquia reduzida, observando sempre o melhor custo-benefício.

Leia também: “3 vantagens pelas quais a franquia reduzida vale a pena”

Muquirana esperto sabe que para economizar de verdade não basta apenas olhar o preço. Por trás do preço há diversas variáveis que, se olhadas com atenção, poderão fazer valer o velho ditado “o barato pode sair caro”. No caso do seguro, a franquia é uma dessas variáveis. A escolha entre a franquia reduzida e a franquia normal varia de caso para caso, por isso antes de se apegar a uma “regra pronta”, o ideal é você avaliar alguns pontos.

Cotação Seguro Carro - 2

Menor preço ou menor franquia?
Dicas para escolher a melhor franquia para seu caso

A franquia do seguro tem relação inversa com o preço do seguro. Ou seja: se a franquia cai, o preço aumenta. Se a franquia aumenta, o preço cai. Isso acontece porque a franquia é a participação obrigatória do segurado na reparação de seu veículo no caso de perda parcial. Se ele opta por diminuir essa participação, a seguradora procurará compensar aumentando o preço do seguro.

Leia também: “Franquia do seguro de automóvel: o que é quando não tenho que pagar?”

A franquia reduzida, como o próprio nome diz, é menor que a franquia normal. No geral ela encarece o preço do seguro, mas tem a contrapartida positiva de, caso você precise acionar o seguro (por exemplo, por causa de uma colisão) o gasto ser menor. A escolha entre a franquia normal e a franquia reduzida dependerá de como você avalia determinadas circunstâncias.

Como calcular o melhor custo benefício
Continhas simples para ajudar a ter um norte na escolha da franquia

A escolha entre a franquia normal ou reduzida cabe ao cliente, mas uma boa dica é avaliar o custo-benefício. Observe quanto, em porcentagem, a contratação da franquia reduzida fará subir o preço de seu seguro. Compare com o quanto caiu (também em porcentagem) a franquia. Se a queda da franquia for relativamente maior que o aumento do preço do seguro, então a franquia reduzida vale a pena financeiramente.

Um pouco confuso? Vamos fazer um exemplo para simplificar:

Suponha que a franquia normal do seguro de seu automóvel ficou em R$2.500,00 com um preço do seguro de R$2.600,00. A franquia reduzida ficou em R$2.000,00 com preço do seguro de R$3.000,00. Veja que a franquia reduzida é 20% menor que a franquia normal, enquanto o preço do seguro com franquia reduzida é 15,38% maior. Ou seja: você está pagando 15,38% a mais para ter uma franquia 20% menor. Você está pagando mais, mas proporcionalmente menos! Financeiramente, vale a pena contratar a franquia reduzida.

Franquia é sinal de largada do seguro
Para acionar o seguro é preciso atingir a franquia

Mas nem tudo são cálculos e números. É preciso pensar também em outros fatores, que às vezes são muito mais importantes que os números. É preciso pensar também no tamanho do risco.

Leia também: “Seguro para smartphone, notebook e tablet não tem franquia”

O primeiro detalhe a se pensar é que para você acionar o seguro em caso de perda parcial, é preciso que a reparação do veículo ultrapasse o valor da franquia. Se não atingir a franquia, o seguro não será acionado.

Por exemplo: Suponha que você bateu seu carro e a reparação dos danos ficou em R$3.000,00. Se sua franquia é de R$3.500,00 o seguro não será acionado e você terá que arcar com os custos sozinho. O mesmo vale para o caso de sua franquia ser de exatamente R$3.000,00. Agora, se sua franquia é menor que R$3.000,00, por exemplo R$1.500,00,
então o seguro será acionado. Nesse caso, você pagará a franquia e a seguradora a diferença – ou seja, você pagará os R$1.500,00 e a seguradora pagará os R$1.500,00 restantes.

É como se a franquia fosse o sinal de largada do seguro. Pensando assim, um primeiro ponto a se considerar ao escolher entre a franquia normal e a reduzida é quanto você está disposto a cobrir sozinho em caso de sinistro.

O motorista faz diferença
(para o bem e para o mal rs!)

Pensando que a franquia é o “sinal de largada” para acionar o seguro de automóvel, um segundo ponto a se considerar é o motorista do veículo segurado. (Tenho certeza que você pensou em algum amigo ou parente agora rs!!).

Se o condutor principal do veículo é mestre no volante, um Ayrton Senna reencarnado, ele está sujeito a riscos, mas menores do que alguém super bração e barbeiro. Se você se enquadra neste último grupo, não leve para o lado pessoal! rs! A questão é que pessoas menos experientes ao volante poderão precisar mais do seguro e, talvez seja o caso de contratar um franquia mais baixa.

Leia também: “Franquia do seguro de carro pode ser parcelada?”

Cá entre nós, é como se o tamanho da franquia medisse o tamanho da confiança na perícia do motorista. E, como filha que sou e barbeira que já fui (rs!), dou um conselho: Se seu filho ou filha tiraram a carta recentemente e você vai pagar o seguro, arrisque uma franquia mais baixa.

Os sagazes perguntarão…
Se tenho que pagar franquia, para quê contratar o seguro?

Depois disso tudo, tenho certeza que haverá quem dirá “Poxa.. Se tenho que pagar franquia, será mesmo que vale a pena contratar o seguro?!”.

É uma pergunta super válida. Para respondê-la, é preciso lembrar que o seguro cobre diversos riscos, além da perda parcial. Se você não tiver seguro e sofrer roubo ou perda total, terá o prejuízo integral do veículo, enquanto que se tivesse seguro, receberia esse valor. O seguro também cobre danos materiais e corporais à terceiros, caso você cause algum dano à outra pessoa no trânsito.

Leia também: “Danos a terceiros: proteção para além do automóvel”

Há ainda muitos outros benefícios, como cobertura de vidros e retrovisores, faróis e lanternas, entre outros. São proteções contra riscos tão evidentes quanto a perda parcial (por ex., uma colisão sem perda total) do veículo e que justificam a contratação do seguro a despeito da franquia.

Cotação Seguro Carro

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas (UNICAMP), com MBA Executivo em Trends Innovation (Inova Business School), atualmente faz extensão universitária em Direito e Economia (UNICAMP). É desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Atua como Gestora na DM4 Corretora de Seguros, associada do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.

42 Responses to Franquia normal ou franquia reduzida: qual a melhor opção?

  1. Com a devida licença, mas se o Ayrton Senna fosse um motorista fiável assim ele não precisaria de uma reencarnação para dirigir novamente.

    • Jessica diz:

      Silvio, boa tarde!

      Você tem um ponto! Mas também é verdade que nem todos motoristas são três vezes campeões mundiais da F1 antes de precisarem de uma reencarnação para voltar a dirigir rsrs!

      Valeu pela participação :)

  2. Marcelo Victorio dos Santos diz:

    Boa noite, fiz uma cotação e a franquia normal é de 3200 e a reduzida a metade, o valor da cotação é de 100 reais de diferença da normal pra reduzida. Será melhor a reduzida e será que não tem diferenças de uma proposta pra outra.

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: procure ser breve, pois são muitas dúvidas todos os dias! :)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *