O que é perda total do veículo e quando é considerado PT?

Ouça ‘O que é perda total no seguro de automóvel e quando é considerado PT’ (EM ÁUDIO)

o que é perda total e quando é considerado ptSaiba o que é perda total (PT) do veículo e quais os critérios para um automóvel chegar a dar PT

O que é perda total de veículo? Parece uma pergunta simples, mas a falta de conhecimento sobre os critérios que determinam a perda total de um veículo muitas vezes causam surpresa na hora de acionar o seguro de automóvel. Saiba o que é a perda total (popularmente conhecida como “PT”) do veículo e conheça os critérios que determinam se é ou não perda total. Assim você evita surpresas indesejadas e garante seus direitos no seguro de seu automóvel.

Leia também:
“Se airbag abre dá perda total (PT) no seguro de automóvel?”
“O que o seguro de automóvel cobre?”

Geralmente há dois tipos de surpresa por parte do segurado quanto à perda total. Primeiro caso: Devido a uma colisão o veículo é danificado mas, aparentemente, não foi algo tão grave assim. No entanto o seguro considera perda total.  O segurado reluta em aceitar, pois acredita que os danos foram apenas parciais, e não totais. Segundo caso: O veículo aparentemente está destruído, todo amassado, mas não chega a dar perda total. Nesse caso, o segurado indigna-se em ver seu automóvel bastante destruído e não ser considerado total. Em ambos os casos, a surpresa e indignação decorrem de falta de conhecimento sobre os critérios do seguro para classificar os danos ao veículo como perda total. Conhecer esses critérios ajuda você a garantir seus direitos e evitar dores de cabeça.

O que é perda total (PT) de veículo?
Quais os critérios para ser considerado PT?

Tecnicamente falando, o seguro considera perda total quando os custos da reparação do veículo ultrapassam 75% do valor segurado. O valor segurado é determinado pela Tabela Fipe, que é uma referência do valor de mercado do veículo.

Faça-já-cotação-do-seu-seguro-de-automóvel

Saiba o que é, como funciona e para que serve a Tabela Fipe clicando aqui. 

Vamos ver uma exemplo, para ficar mais fácil de entender: Suponha que você tem um carro que, pela Tabela Fipe, está valendo R$ 10.000. Nesse caso, para ser considerado perda total, o custo de reparação do veículo deveria ser igual ou superior a R$ 7.500 (75% de 10.000). Por exemplo: sem querer você bate o carro e, ao levar à oficina, o orçamento para consertá-lo fica em 6.000. Neste caso, não há perda total, pois os custos ficaram abaixo de 7.500. Agora, se o orçamento tivesse ficado em R$ 8.000 então teria atingido (e ultrapassado) o limite de 75% do valor segurado, sendo considerado perda total.

No caso de carros muito antigos, é mais fácil chegar a dar perda total. Isso porque seu valor de mercado já está bastante depreciado. Isso, somado ao fato de o custo das peças ser alto, faz com que pequenos danos atinjam facilmente 75% do valor segurado.

O que acontece no seguro de automóvel quando dá perda total?

Quando acontece perda total, o seguro paga para o segurado o valor de indenização integral. Ou seja, o cliente recebe o valor total do carro previsto na Tabela Fipe.

Alguns segurados contratam mais do que 100% da Tabela Fipe, por exemplo 110%. Nesse caso, o segurado receberá 100% do valor do automóvel + 10% desse valor. Por exemplo: Suponha que seu carro vale 10.000 segundo a Tabela Fipe. Se você contratar cobertura de 110%  da Tabela Fipe, em caso de perda total receberá 10.000 + 1.000 = 11.000. Ou seja, 100% + 10%.

Também há casos em que o segurado contrata cobertura de despesas extras. No caso de perda total ele receberá o valor do veículo mais as despesas extras contratadas.

E quando não chega a dar perda total, o que acontece?

Quando não chega a dar perda total, dizemos que foram “danos parciais”. Nesses casos, o seguro cobrirá os custos de reparação apenas quando eles ultrapassarem o valor da franquia. O segurado paga  a franquia, e o seguro paga os custos restantes.

Para saber o que é e como funciona a franquia no seguro de automóvel clique aqui.

Leia também: “Franquia normal ou reduzida: qual a melhor opção?”

E quando dou perda total no carro de outra pessoa?

As vezes a barbeiragem é grande e acabamos destruindo o carro de um terceiro. Para esses casos existe a cláusula de cobertura de danos materiais a terceiros. Para saber como funciona essa cláusula do seguro, clique aqui.

E nos casos de roubo: é perda total?

No caso de roubo em que o veículo não é recuperado, não é considerado perda total, mas o segurado recebe indenização integral, assim como quando há perda total.

Faça já cotação do seu seguro de automóvel: clique abaixo ou nos contate!

fazer-pedido-de-cotação-de-seguro

atendimento@muquiranaseguros.com.br

(19) 3304 9920

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas pela UNICAMP e com MBA Executivo em Trends Innovation na Inova Business School. É desenvolvedora da Muquirana Seguros Online, um projeto inovador focado no atendimento humanizado por meio da internet. Também desenvolve o canal Amo Meu Amigão, com foco em seguro saúde para cães e gatos. Atua como Gestora na DM4 Corretora de Seguros e dirige a Comissão de T.I. do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Marcado , .Adicionar aos favoritos o permalink.

556 Responses to O que é perda total do veículo e quando é considerado PT?

  1. Rosimeri Martins Farias diz:

    Meu veículo foi considerado perda total pela seguradora mas o concerto não chegava a 60% do valor do veículo. Era superficial o estrago então fiz um acordo com a seguradora e me deram 50% do valor do veículo para que eu fizesse o concerto e me reponsabilizase. Minha dúvida é se ficará alguma restrição no veículo por ter sido considerado perda total?

    • Jessica diz:

      Rosimeri, boa tarde!

      Peço desculpas, mas não temos como responder sua questão, pois atuamos somente na área de seguros e por isso não temos informações sobre alterações na documentação do veículo. Recomendamos consultar um despachante veicular pois ele poderá lhe instruir sobre este ponto.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal no Youtube. Assista vídeo aqui: https://youtu.be/1wqFTw0R1xQ

      Atenciosamente,

  2. Joselma Aguiar diz:

    Quando se dá perda total, em um carro financiado, ainda sem nem uma parcela paga, a seguradora paga para o segurado ou paga à concessionária? E a entra paga é devolvida ao segurado?

    • Jessica diz:

      Joselma, bom dia!

      Independente de a parcela do financiamento já ter sido paga, o documento do veículo constará como alienado. Por conta disso a indenização será paga a financeira apara quitar o saldo devedor, fazendo a baixa do gravame e transferência do documento quitado para a seguradora.

      Como o financiamento tem juros e não teve nenhuma parcela quitada, existe a chance de o saldo devedor ser superior ao valor da indenização integral do seguro. Se for este o caso recomendamos negociar com a loja e financeira a substituição da garantia para diminuir seus prejuízos.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal!
      Assista nosso vídeo aqui: https://youtu.be/dZg1UdTeNm0

      Atenciosamente,

  3. Luciana Conrado diz:

    Boa noite, é possível exigir judicialmente a conversão de conserto para perda total do veículo? A seguradora quer trocar o teto do veículo IX35 ano 2016. E a concessionário me informou que, constará sinistro e assim ocorrerá uma desvalorização de 40% do bem.

    • Jessica diz:

      Luciana, boa tarde!

      Peço desculpas, pois como não atuamos na área jurídica não temos grandes informações sobre as chances de ganho de causa neste tipo de causa.
      Recomendamos consultar um advogado pois ele poderá lhe dizer qual a jurisprudência em situações assim e como proceder. Este site também pode ajudá-la e buscar casos semelhantes ao seu: http://www.jusbrasil.com.br/home

      Com relação ao seguro, a seguradora não arca com desvalorização do veículo decorrente do sinistro coberto. O contrato prevê que para danos abaixo de 75% do valor do carro na Tabela FIPE a seguradora se compromete a fazer o conserto do mesmo, desde que dentro de padrão de qualidade e segurança. Quando não há acordo neste sentido, a recomendação é buscar um advogado e verificar o que pode ser feito na Justiça.

      Apoie nosso projeto e se inscreva em nosso canal!
      Assista nosso vídeo aqui: https://youtu.be/dZg1UdTeNm0

      Atenciosamente,

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: procure ser breve, pois são muitas dúvidas todos os dias! Todas dúvidas são respondidas. :)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *