O que é perda total do veículo e quando é considerado PT?

Saiba o que é perda total (PT) do veículo e quais os critérios para um automóvel chegar a dar PT

o que é perda total e quando é considerado ptO que é perda total de veículo? Parece uma pergunta simples, mas a falta de conhecimento sobre os critérios que determinam a perda total de um veículo muitas vezes causam surpresa na hora de acionar o seguro de automóvel. Saiba o que é a perda total (popularmente conhecida como “PT”) do veículo e conheça os critérios que determinam se é ou não perda total. Assim você evita surpresas indesejadas e garante seus direitos no seguro de seu automóvel.

Leia também:
“Se airbag abre dá perda total (PT) no seguro de automóvel?”
“O que o seguro de automóvel cobre?”

Geralmente há dois tipos de surpresa por parte do segurado quanto à perda total. Primeiro caso: Devido a uma colisão o veículo é danificado mas, aparentemente, não foi algo tão grave assim. No entanto o seguro considera perda total.  O segurado reluta em aceitar, pois acredita que os danos foram apenas parciais, e não totais. Segundo caso: O veículo aparentemente está destruído, todo amassado, mas não chega a dar perda total. Nesse caso, o segurado indigna-se em ver seu automóvel bastante destruído e não ser considerado total. Em ambos os casos, a surpresa e indignação decorrem de falta de conhecimento sobre os critérios do seguro para classificar os danos ao veículo como perda total. Conhecer esses critérios ajuda você a garantir seus direitos e evitar dores de cabeça.

O que é perda total (PT) de veículo?
Quais os critérios para ser considerado PT?

Tecnicamente falando, o seguro considera perda total quando os custos da reparação do veículo ultrapassam 75% do valor segurado. O valor segurado é determinado pela Tabela Fipe, que é uma referência do valor de mercado do veículo.

Saiba o que é, como funciona e para que serve a Tabela Fipe clicando aqui. 

Faça-já-cotação-do-seu-seguro-de-automóvel

Vamos ver uma exemplo, para ficar mais fácil de entender: Suponha que você tem um carro que, pela Tabela Fipe, está valendo R$ 10.000. Nesse caso, para ser considerado perda total, o custo de reparação do veículo deveria ser igual ou superior a R$ 7.500 (75% de 10.000). Por exemplo: sem querer você bate o carro e, ao levar à oficina, o orçamento para consertá-lo fica em 6.000. Neste caso, não há perda total, pois os custos ficaram abaixo de 7.500. Agora, se o orçamento tivesse ficado em R$ 8.000 então teria atingido (e ultrapassado) o limite de 75% do valor segurado, sendo considerado perda total.

No caso de carros muito antigos, é mais fácil chegar a dar perda total. Isso porque seu valor de mercado já está bastante depreciado. Isso, somado ao fato de o custo das peças ser alto, faz com que pequenos danos atinjam facilmente 75% do valor segurado.

O que acontece no seguro de automóvel quando dá perda total?

Quando acontece perda total, o seguro paga para o segurado o valor de indenização integral. Ou seja, o cliente recebe o valor total do carro previsto na Tabela Fipe.

Alguns segurados contratam mais do que 100% da Tabela Fipe, por exemplo 110%. Nesse caso, o segurado receberá 100% do valor do automóvel + 10% desse valor. Por exemplo: Suponha que seu carro vale 10.000 segundo a Tabela Fipe. Se você contratar cobertura de 110%  da Tabela Fipe, em caso de perda total receberá 10.000 + 1.000 = 11.000. Ou seja, 100% + 10%.

Também há casos em que o segurado contrata cobertura de despesas extras. No caso de perda total ele receberá o valor do veículo mais as despesas extras contratadas.

E quando não chega a dar perda total, o que acontece?

Quando não chega a dar perda total, dizemos que foram “danos parciais”. Nesses casos, o seguro cobrirá os custos de reparação apenas quando eles ultrapassarem o valor da franquia. O segurado paga  a franquia, e o seguro paga os custos restantes.

Para saber o que é e como funciona a franquia no seguro de automóvel clique aqui.

Leia também: “Franquia normal ou reduzida: qual a melhor opção?”

E quando dou perda total no carro de outra pessoa?

As vezes a barbeiragem é grande e acabamos destruindo o carro de um terceiro. Para esses casos existe a cláusula de cobertura de danos materiais a terceiros. Para saber como funciona essa cláusula do seguro, clique aqui.

E nos casos de roubo: é perda total?

No caso de roubo em que o veículo não é recuperado, não é considerado perda total, mas o segurado recebe indenização integral, assim como quando há perda total.

Faça já cotação do seu seguro de automóvel: clique abaixo ou nos contate!

fazer-pedido-de-cotação-de-seguro

atendimento@muquiranaseguros.com.br

(19) 3304 9920

Sobre Jessica

Formada em Ciências Econômicas pela UNICAMP, atualmente cursa MBA em Trends Innovation na Inova Business School. É desenvolvedora do projeto Muquirana Seguros Online onde trabalha nas áreas de SEO e criação de conteúdo. Atua como Gerente de Qualidade na Skill Seguros e compõe a Comissão de T.I. do Grupo Exalt, maior grupo de corretores de Campinas e Região.
Marcado , .Adicionar aos favoritos o permalink.

284 Responses to O que é perda total do veículo e quando é considerado PT?

  1. wanderson diz:

    Meu carro teve uma colisão traseira levei para oficina da seguradora mas devido ao fim de ano iriam fechar conversei com meu corretor ele falou para esperar a passagem de ano neste intervalo tive uma nova colisão desta vês na lateral gostaria de saber quantos dias a seguradora tem para entregar o carro depois da entrada na oficina e se esta nova colisão pode me trazer algum trantorno o carro e um celta 2012

    • Jessica diz:

      Wanderson, bom dia!

      Como ocorreram duas colisões independentes, o seguro cobrará uma franquia para cada colisão.

      Após a entrada do carro na oficina, esta fará o orçamento do conserto. A seguradora encaminhará um vistoriador para checar se o orçamento está coerente e aprovará esse orçamento (isso geralmente é rápido: em algumas seguradoras ocorre dentro de 1 dia útil, em outras em até 3 dias). Após liberado o conserto, o prazo para entrega do carro depende de diversos fatores que fogem ao escopo da seguradora, como por exemplo a gravidade dos danos a serem consertados, a disponibilidade de peças, agilidade do serviço da oficina (fila de espera, principalmente), etc. Por essa razão, depende muito das circunstâncias e não há como dizermos um prazo certo.

      Ficamos a disposição!

  2. João Albernaz diz:

    Boa tarde! Meu carro sofreu uma batida de um carro segurado pela SulAmérica. Nesse caso sou terceiro, e meu carro destruiu a frente e traseira toda, inclusive parte lá lateral e no monobloco. Se eles não derem o pt, o carro não vai mais ser o mesmo, posso recorrer e pedir a perda total ? Obrigado!

    • Jessica diz:

      João, bom dia!

      Para dar perda total os custos de reparação tem que atingir 75% do valor do veículo na Tabela FIPE.
      Portanto, o que recomendamos é que primeiramente aguarde o orçamento do conserto. Se o orçamento não chegar a dar perda total, você pode solicitar um novo orçamento em outro oficina de sua confiança para fazer um comparativo e poder argumentar junto a seguradora do responsável pelo acidente.

      Se mesmo após a sua checagem numa segunda oficina continuar não dando perda total, o carro deverá ser consertado. Neste caso a seguradora deverá entregar o carro em perfeito estado de uso e conversão, além de dar garantia da qualidade do serviço.

      Ficamos a disposição!

      • João Albernaz diz:

        Muito obrigado Jéssica! Caso o veículo não venha em perfeito estado e com peças originais, posso solicitar que seja refeito não é ? E se assim atingir os 75% consigo que dê pt? Porque sinceramente, o amassado no monobloco não foi muito grave, mas ficou bem amarrotado, e não é uma peça que se troque.

        • Jessica diz:

          João, bom dia!

          Certamente! Caso o serviço não fique perfeito, você poderá solicitar que seja refeito. A seguradora avaliará os defeitos apresentados e constatando que são decorrentes do conserto indenizado pelo seguro, deverão refazer até ficar 100%.
          Cada vez que o serviço é refeito ele é contabilizado dentro do mesmo sinistro, junto aos demais custos anteriores. Se inicialmente não atingir 75% mas posteriormente, com o serviço refeito, atingir os 75% então será considerado PT.

          Ficamos às ordens!

  3. carlos diz:

    boa tarde atropelei um cavalo e danificou a coluna e o teto, e a seguradora quer troca o teto eles podem fazer isso. o carro so tem 4 meses de uso sera que nao perco a garantia do veiculo.

    • Jessica diz:

      Carlos, bom dia!

      Se o carro estiver na garantia você deverá fazer esse serviço na concessionária para não perder essa garantia.

      A seguradora pode propor a troca do teto, desde que garanta que o veículo irá ficar em perfeito estado de uso e conservação, com a garantia da concessionária.

      Ficamos a disposição!

  4. Alberto Rech diz:

    gostaria de saber se em sinistros danificar a coluna entre as duas portas lateral direita, deve ser considerado perda total.
    independente de valores em %?

    • Jessica diz:

      Alberto, boa tarde!

      Na Condições Gerais do seguro o critério para perda total é sempre que os custos de reparação cheguem a 75% do veículo. Há outras situações excepcionais em que pode ocorrer perda total sem chegar ao 75%, mas geralmente estão ligadas a falta de disponibilidade de peças novas e originais de fábrica (pois o seguro é obrigado a usar peças originais) ou a impossibilidade entregar o veículo consertado com garantia de qualidade.

      No caso de danos à coluna do carro, caso não atinja os 75% será feito o conserto e a seguradora deverá dar garantia da qualidade do serviço, entregando o veículo em perfeito estado de uso e conservação. Se isso não ocorrer, o serviço deverá ser refeito até o carro ficar perfeito e para cada vez que esse serviço é refeito é contabilizado no sinistro, podendo chegar a dar perda total posteriormente.

      Ficamos a disposição!

  5. Ricardo diz:

    Sofri um sinistro, só foi um amassado na porta direita mas por o meu carro ser antigo Escorte gl 89 1.6 deu PT e avaliaram o meu carro conforme tabela FIPE no valor de R$4.372,00, eu liguei para a seguradora e disse que queria continuar com o carro, pediram para eu fazer um orçamento e eles iriam avaliar, fiz um orçamento no valor de R$2.250,00 me mandaram um email dizendo que o perito orçou os danos em R$1.751,00. Pergunta, se antes eles avalariam os danos em perda total porque os reparos ficariam em 75% do valor do carro, quer dizer, R$3.279,00, por que agora eles avaliam em R$1.751,00? É correto este procedimento da seguradora? Obrigado

    • Jessica diz:

      Ricardo, boa tarde!

      Pode ser que a seguradora estava dando perda total no seu veículo pelo fato de não conseguir repor as peças novas e originais de fábrica para consertar o veículo através do seguro. É obrigatório, no caso de perda parcial, a troca de peças por originais, e quando a seguradora não tem ou não encontra essas peças originais pode dar perda total.

      Provavelmente ela não estava dando PT pelo critério dos 75%, mas pela lei que a obriga a usar peças originais.

      Como você está solicitando um acordo em oficina de sua preferência, a seguradora já não tem essa obrigatoriedade, pois trata-se de um acordo. E por conta disso os orçamentos podem divergir. Orientamos que procure negociar com a oficina e a seguradora para chegar a um valor ideal para o conserto do seu carro.

      Ficamos a disposição!

  6. Paula Cristina diz:

    Sofri um sinistro no dia 04/06/2014, meu carro é o terceiro e deu PT. Até hoje ainda não recebi o pagamento do seguro. No dia 27/10/14 a seguradora enviou um Ted com o valor porém preencheram com o número da agência errado e o banco devolveu. Ninguém da seguradora entrou em contato comigo para avisar e eu só fiquei sabendo porque estou acompanhando o andamento do procedimento. Eu mesma entrei em contato com a seguradora e avisei do engano e conferi nos documentos enviados (guardei cópia de tudo) que o erro foi da seguradora. Mesmo assim até o dia de hoje 07/11/14 ainda não recebi nenhum real. O que faço pois meu carro me servia para trabalho e escola.
    Aguardo resposta. Obrigado. Paula

    • Jessica diz:

      Paula, bom dia!

      Recomendamos que você vá pessoalmente até a seguradora com esses documentos que você colheu como provas, informe dos problemas que está tendo e da demora fora do normal. Solicite que lhe seja indenizado o mais rápido possível, colocando todas essas informações em uma carta com suas exigências e peça para protocolarem na seguradora.

      Com essa carta protocolada em mãos você terá provas de que está tentando receber desde 04/06 e assim poderá pressionar a seguradora de que se a indenização não for feita dentro do prazo estipulado nessa carta, você irá acioná-los juridicamente com todas essas provas em seu favor.

      Ficamos a disposição!

Escreva sua dúvida! Pedimos apenas uma gentileza: informe a data do vencimento do seu seguro e nos dê a chance de cotá-lo para você! Todas dúvidas são respondidas.

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>