A telemedicina e teleconsultas em alta nos planos de saúde

A Covid-19 vem mudando os hábitos e padrões de atendimento em vários segmentos.  Regulamentada às pressas no país, por causa do surto do vírus, a telemedicina explodiu em número de atendimentos, desde abril.

A atual crise incentivou o caminho da mudança como saída para a continuidade de muitos serviços após o isolamento. Também na área da saúde, diretamente afetada pela pandemia, o teleatendimento passou a ser uma alternativa de adaptação ao novo cenário. 

A necessidade de reduzir os atendimentos e as aglomerações desnecessárias nos pronto-socorros entre outros, fez com que o Conselho Federal de Medicina (CFM) liberasse, temporariamente, atendimentos virtuais para triagem e monitoramento de pacientes em isolamento, por exemplo.

As novas demandas fez com que a portaria que autoriza a prática fosse liberada, em abril passado, desencadeando uma grande mudança também nos atendimentos das consultas.

Como a teleconsulta se ajusta ao cenário da pandemia? 

Considerando os riscos de exposição à contaminação dos envolvidos – paciente, médico, equipe, os distanciamentos, salas de espera, contatos com outras pessoas pelo percurso até a consulta propriamente – a modalidade se ajusta perfeitamente ao cenário atual e a modernização dos atendimentos de saúde.

As ferramentas tecnológicas, a utilização da internet, dos aplicativos e de plataformas online despontam como alternativas mais seguras contra os riscos de contaminação, os custos do processo, encurtamento das distâncias entre outros benefícios, ganhando espaço e, por conta da pressão oferecida pela atuação pandemia, vencendo rejeições, mitos e barreiras. 

Como é feita uma teleconsulta?

A teleconsulta é uma modalidade de consulta médica realizada à distância, com o auxílio da tecnologia da informação e comunicação, usando prontuário eletrônico em nuvem com videoconferência.

Ou seja, na teleconsulta, médico, paciente e outros profissionais de saúde não se encontram no mesmo local físico e todo o processo é realizado no meio digital.

Como é a teleconsulta?

Para o paciente é só baixar um aplicativo no celular ou no computador, procedimento que a maioria das pessoas já faz em seu dia a dia. Para os profissionais de saúde que passaram a utilizar o recurso, basta um treinamento de algumas horas.    

O médico normalmente, faz a consulta através de uma plataforma tecnológica que se destaca pela robustez, segurança e integração de recursos, permitindo ao médico, por exemplo, emitir receitas e ter acesso ao prontuário eletrônico do paciente. 

O médico também pode se comunicar e trocar conhecimentos com outros profissionais e conta com um novo arsenal de soluções frente à necessidade de isolamento social e de acesso à saúde. 

Desde o ano passado, alguns planos já ofereciam teleconsultas, algumas disponíveis 24 horas em todos os dias da semana, e com foco nas queixas mais comuns, como gripe, tosse, dor de garganta, dor de barriga, diarreia, náusea, cólica menstrual, alergia, dor de cabeça e costas e ardor nos olhos, progredindo para novas queixas até o momento.

Através da reestruturação dos planos, os pacientes podem usar a plataforma de telemedicina dos hospitais credenciados e outras dezenas de plataformas para oferecer o serviço, incluindo também as especialidades de psiquiatria, dermatologia, urologia e ginecologia.  Milhares de médicos (com CRM) se cadastraram para oferecer o atendimento online e o serviço online tende a crescer. 

 A telemedicina já era utilizada em diversos setores da saúde, como cardiologia, neurologia, radiologia, enfermagem, oncologia, oftalmologia etc. e também na atenção primária. Na cardiologia, por exemplo, a telemedicina associada a outros dispositivos (alguns comprados em farmácias) permite que o médico monitore a distância pacientes com marca-passo ou durante a teleconsulta verifique quadros de arritmia cardíaca.  

A Teleconsulta substituirá a consulta presencial? 

Em casos possíveis, sim. A teleconsulta e consulta presencial são complementares. Cabe ao médico saber qual é o limite entre as duas situações. Após a triagem dos pacientes na teleconsulta, o médico poderá encaminhá-lo para o atendimento presencial se necessário, com benefícios para médicos, pacientes e sistema de saúde.

Quais as vantagens da teleconsulta?

A telemedicina democratiza o acesso à saúde, disponibilizando primário e especializado até em regiões sem acesso, com distribuição desigual de recursos médicos de qualidade, por exemplo. 

É um recurso tecnológico que ajuda a aproximar médico e paciente grandes extensões territoriais como no Brasil, também diversificando o atendimento às especialidades médicas para mais pessoas.

Colabora para desafogar e tornar mais eficiente o sistema de saúde, favorecendo uma triagem e encaminhamento dos quadros mais complexos para hospitais e pronto-atendimentos.

Favorece o compartilhamento de conhecimento e práticas dentro de toda extensão do segmento, até nas clínicas mais populares.

A portaria do ministério veio em boa hora, reinventando os atendimentos dos planos para o patamar da Saúde 4.0, o novo normal nesse segmento!  

Novas regras para os seguros de vida na pandemia

O seguro de vida é um tipo de Seguros de Pessoas que tem como principal função proteger você ou quem você ama, das instabilidades financeiras. Ele indeniza o próprio segurado em casos do diagnóstico de doenças graves, auxiliando no tratamento e, no caso de morte do segurado, aos seus dependentes ou beneficiários.

Assim, este tipo de seguro ajuda tanto o próprio segurado, como também as famílias que acabaram de perder um ente querido de forma repentina, para que ganhem um fôlego financeiro e reconstruam a sua história.

Quais são as coberturas disponíveis atualmente?

A mais tradicional é a cobertura por Morte acidental ou Natural através da qual os beneficiários do segurado recebem o valor de indenização previsto em apólice, além de assistência funeral individual ou familiar (cônjuge ou filhos menores de 18 anos).

Outras cláusulas ou coberturas podem ser contratadas na apólice.

Uma bastante comum, é a cobertura de Invalidez Permanente Total ou Parcial por Acidente onde o próprio segurado recebe indenização, no caso de redução ou perda definitiva da função ou de algum órgão ou membro do corpo, de forma total ou parcial, por acidentes.

Existe ainda a cobertura para Doenças Graves, válida para doenças não pré-existentes, que asseguram indenização para o próprio segurado realizar o tratamento necessário. A indenização é feita em decorrência de diagnóstico de doenças devidamente especificadas e caracterizadas no plano de seguro, sendo mais comuns o câncer e o AVC.

A cobertura para Invalidez Laborativa Permanente Total por Doença que prevê o pagamento de indenização nos casos em que não se pode esperar recuperação ou reabilitação, com os recursos terapêuticos disponíveis no momento de sua constatação, para a atividade laborativa principal do segurado.

A cobertura por Invalidez Funcional Permanente Total por Doença pagamento de indenização em caso de invalidez consequente de doença que cause a perda da existência independente do segurado, na forma estabelecida no plano de seguro;

A cobertura para Despesas Médicas, Hospitalares e Odontológicas em caso de acidente pessoal que garante o reembolso, até o capital segurado, de despesas médicas, hospitalares e odontológicas do segurado, para seu tratamento, sob orientação médica.

Outras como Diárias por IncapacidadeDiária por Internação Hospitalar, Perda de Renda, Diária por Internação Hospitalar, Cobertura para segurados dependentes (cônjuges, companheiros, filhos), Seguro funeral e outras.

O que mudou com a Covid19?

As epidemias e pandemias são riscos excluídos pela legislação brasileira; o novo projeto de lei 2.113/2020 obrigou as Seguradoras a darem cobertura, se requerida pelo segurado, para os casos de Covid19, em condição transitória, sem resultar no aumento do preço do prêmio do seguro de forma permanente, uma vez que a medida não alcança futuras pandemias ou epidemias que podem, infelizmente, ser ainda mais graves do que a atual. A inclusão ou não da doença pandêmica na cobertura do seguro de vida é uma escolha do segurado na regra atual.

Por meio dessa atualização, os seguros de vida ou invalidez permanente podem cobrir mortes ou invalidez permanente decorrentes de coronavírus, nas apólices em vigência, bem como as despesas médicas e assistência funeral – limpeza do corpo, preparação para o velório, cremação e enterro, feitos de acordo com as recomendações das autoridades de saúde, por conta do risco de contágio da doença.

Nos novos contratos, respeita-se um prazo de carência de 3 meses para o diagnóstico da doença e as coberturas de despesas médicas e assistência funeral são contratadas de forma adicional.

Como acontece a indenização no caso de sinistro decorrente da pandemia?

Segundo essa atualização, o segurado tem direito a indenização, no prazo máximo de dez dias corridos, contados a partir da data de entrega da documentação comprobatória requerida na apólice.

O novo projeto de lei também garante o pagamento de indenizações de seguro de Vida, Assistência Médica e Invalidez, sem impor aumento do preço do valor pago pelo segurado no período de calamidade pública por conta de qualquer doença ou lesão decorrente da pandemia, enquanto durar a calamidade pública.

Seguro cobre terceiro após infração de trânsito?

Saiba como funciona cobertura de danos a terceiros quando causador comete infração de trânsito!

Nosso visitante Felipe nos enviou a seguinte questão:

“Olá Jessica, boa noite, tudo bem?

Eu me envolvi em um acidente de trânsito há uns dois meses, acionei o serviço da seguradora (cooperativa), somente para terceiro, como legalmente culpado pelo acidente. Levaram o carro do rapaz para uma oficina e depois de 40 dias disseram que não iriam cobrir mais o serviço alegando que depois da perícia por eu ter cometido uma infração de trânsito.
Sendo assim, tive que arcar com o prejuízo do conserto do carro do rapaz, que ficou em R$3.600,00.
No contrato do associado diz que o serviço para terceiros será realizado quando o associado for legalmente culpado, mas logo depois diz que se ele cometer alguma imprudência, negligência e etc, não cobre mais.

Seria um contrato abusivo, ou propaganda enganosa não?
Estou pensando seriamente em buscar uma forma de reaver este meu prejuízo na justiça, inclusive por danos morais.

O que vocês me indicaria?

No aguardo,

Felipe.”

Confira nossa resposta:

Olá Felipe, tudo bom?

As orientações que darei são referentes a contratos com seguradoras reguladas pela SUSEP. Como não atuamos com cooperativas ou associações de proteção veicular, não tenho acesso aos contratos e procedimentos de vendas para poder orientar.

Contudo, ao final menciono um pouco o que penso sobre seu caso.

Cotação Seguro Carro - 2

Continue lendo

Indenização de terceiro com chassi remarcado

Como funciona indenização integral de terceiro quando veículo dele tem chassi remarcado?

Nossa visitante Ana Carolina nos enviou a seguinte questão:

“Sou terceiro de um acidente e a causador acionou o seguro dela. Meu carro deu pt e possuía chassi remarcado. Eles vão me pagar a Fipe ou vai depreciar o valor?”

Confira resposta:

Olá Ana Caroline, tudo bom?

Continue lendo

Guincho ilimitado do seguro remove para qual local?

Entenda para qual local guincho ilimitado do seguro remove automóvel!

Nosso visitante Marcos nos enviou a seguinte questão:

“Se eu solicitar o guincho ilimitado a uma quilometragem longa até minha casa por motivo de batida ou pane mecânica qual o procedimento da seguradora? Mandar para uma credenciada do meu veiculo, ou uma concessionaria mais próxima, ou para a minha casa ou para uma oficina próximo a minha casa? E independe da distancia o táxi me leva em casa?”

Confira resposta:

Olá Marcos, tudo bom?

Excelente questão! :)

Continue lendo